Lições Bíblicas CPAD

Jovens e Adultos

 

 

2º Trimestre de 2004

 

Título: Família Cristã — Eu e a minha casa serviremos ao Senhor

Comentarista: Eliezer de Lira e Silva

 

 

Lição 6: A criança e a família

Data: 9 de Maio de 2004

 

TEXTO ÁUREO

 

Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo(Ef 6.1).

 

VERDADE PRÁTICA

 

O futuro feliz de uma família depende da criação dos filhos desde pequeninos, no temor ao Senhor, segundo a Bíblia.

 

LEITURA DIÁRIA

 

Segunda - Dt 11.18,19

Os pais: os primeiros mestres da criança

 

 

Terça - Dt 6.6-9

O lar, a primeira escola da criança

 

 

Quarta - Ef 6.4

Como deve ser a criação dos filhos

 

 

Quinta - Pv 22.6

O bendito e duradouro ensino da Palavra

 

 

Sexta - Jo 21.16

A prioridade do ensino da criança

 

 

Sábado - Sl 127.3

Os filhos são herança e galardão do Senhor

 

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

 

Deuteronômio 11.18-21.

 

18 - Ponde, pois, estas minhas palavras no vosso coração e na vossa alma, e atai-as por sinal na vossa mão, para que estejam por testeiras entre os vossos olhos.

19 - e ensinai-as a vossos filhos, falando delas assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te, e levantando-te;

20 - e escreve-as nos umbrais de tua casa e nas tuas portas,

21 - para que se multipliquem os vossos dias e os dias de vossos filhos na terra que o Senhor jurou a vossos pais dar-lhes, como os dias dos céus sobre a terra.

 

PONTO DE CONTATO

 

Atualmente as crianças estão expostas a todo tipo de informação contrastante com as Escrituras Sagradas: Programas infantis que não têm nenhum fim educativo e são apresentados por pessoas que não possuem qualquer comprometimento com Deus e sua Palavra; filmes, músicas e desenhos animados que só estimulam a violência, a sensualidade e a desobediência; e até os brinquedos e as embalagens de biscoitos e doces estão influenciando-as através de figuras completamente diabólicas. Os pais são os principais agentes educadores da criança, se forem negligentes, estarão comprometendo o futuro de sua descendência.

 

OBJETIVOS

 

Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:

  • Identificar os principais modos bíblicos pelos quais os pais devem ensinar os filhos.
  • Definir e conceituar o termo disciplina em conformidade com a Bíblia Sagrada.
  • Destacar o exemplo de Jesus em seu relacionamento com as crianças.

 

SÍNTESE TEXTUAL

 

Educar uma criança não é uma atividade fácil, todavia, extremamente recompensadora. É uma grande responsabilidade concedida por Deus aos pais, contudo, se Ele nos confiou isso, sabe que possuímos a capacidade de cumpri-la plenamente. Os pais têm a obrigação de preparar os filhos para enfrentarem a vida sozinhos, por isso, precisam aproveitar bem o tempo de convivência entre eles. A criança necessita de conhecimento secular para desenvolver habilidade crítica, ter maior possibilidade de se tornar bem-sucedida e uma cidadã civilizada e consciente de seus direitos e deveres. No entanto, o ensino bíblico é fundamental para que ela possa construir sua vida sobre o alicerce sólido da Palavra de Deus, e tê-la como parâmetro de conduta para si. “Instruir no caminho” implica também estar no mesmo caminho; a criança é observadora e está sempre atenta ao comportamento dos adultos, os quais ensinam muito mais com suas atitudes do que por meio de suas palavras. Ela aprende rapidamente o que lhe é transmitido, por isso, devemos verificar toda a informação que está lhe sendo legada na escola, na igreja e em casa através dos meios de comunicação e de outras pessoas com as quais ela convive.

 

ORIENTAÇÃO DIDÁTICA

 

Reproduza o gráfico abaixo no quadro de giz ou numa cartolina sobre as responsabilidades dos pais para com os filhos. Pergunte ao seus alunos e peça-lhes para completar o quadro.

 

DEVERES DOS PAIS

 

   •    Ensinar o temor a Deus

   •    Honrar

   •    Disciplinar

 

 

DEVERES DOS FILHOS

 

   •    Obedecer

   •    Ser um bom exemplo

   •    Amar

 

COMENTÁRIO

 

introdução

 

Palavra Chave

Infância: Período de vida que vai do nascimento à adolescência, extremamente dinâmico e rico, no qual o crescimento se faz, simultaneamente, em todos os domínios, e que, segundo os caracteres anatômicos, fisiológicos e psíquicos, se divide em três estágios: primeira infância, de zero a três anos; segunda infância, de três a sete anos; e terceira infância, de sete anos até a puberdade.

 

“Instrui a criança” (Pv 22.6) é um imperativo bíblico. Os pais têm uma oportunidade única, seguidos da igreja, de ensinarem e educarem os pequeninos. A infância, a partir do nascimento, é o alicerce da vida inteira que a criança terá. Que alicerce ou base as nossas crianças dispõem para a construção do edifício da sua existência? Em duas ocasiões, Jesus dando-nos o exemplo, priorizou manifestamente o atendimento das necessidades da criança (Mc 10.14,16). Em João 21.16, Jesus, depois de haver ressuscitado, ordenou a Pedro: “Apascenta as minhas ovelhas”, isto é, “meus pequeninos” (de acordo com o original). Este pastoreio da criança, visto como prioridade, só será possível através do amor de Deus para com elas. O prévio requisito da parte de Deus para os pais é pôr as palavras dEle no coração dos filhos (Dt 11.18). O versículo 19 confirma isso. Os pais cristãos precisam não apenas conhecer a Palavra de Deus, tendo-a na mente, mas também necessitam guardá-la no coração com amor.

 

I. PAIS E FILHOS

 

1. Ensinando os filhos pelo exemplo (Dt 11.18). O exemplo de amor pela Palavra de Deus que os pais demonstram aos filhos — falando dela com amor, lendo-a e ouvindo-a com sede, prazer, atenção e reverência — perdurará neles por toda a vida, estimulando-os a também amá-la e deste modo serem igualmente abençoados. A Bíblia é a mensagem de Deus para nós, e nos transmite o conhecimento e a sabedoria de Deus.

2. Ensinando a criança com amor (Dt 11.18). Os termos “coração” e “amor” são interligados e semelhantes. O ensino dos pais à criança deve ser de coração para coração, e não simplesmente de cabeça para cabeça, como se a Palavra de Deus fosse uma matéria secular — português ou matemática — que aprendemos e depois esquecemos. O amor à criança precisa ser dosado com firmeza de atitudes para que haja equilíbrio na formação de uma personalidade cristã ideal. Psicólogos e pedagogos modernos e distanciados da Palavra de Deus estão propagando que basta cuidar da criança com amor e esquecer da firmeza, correção e disciplina. Eles acham que sabem educar mais do que Deus e afirmam que a correção da criança pelos pais prejudica o desenvolvimento da sua personalidade. A Bíblia ensina diferente (Pv 29.15,17). Amor sem disciplina é sentimentalismo; torna-se vulnerável e fenece.

3. Ensinando pelo falar (Dt 11.19). A criança enquanto pequenina vive em casa e nas imediações. Vemos aí o lar como a primeira escola da criança e os pais como seus primeiros mestres. Os anos da infância passam rápido e os pais precisam de conhecimento, sabedoria e preparo para aproveitarem todas as oportunidades e ensinar a seus filhos o que é necessário. A fala continua sendo o maior meio de comunicação no ensino. Os pais devem utilizá-la bem no lar.

4. Ensinando a criança pela visão (Dt 11.20). A escrita é um tipo de código visual linguístico para a comunicação no ensino. Nos primórdios da Lei, a escrita era limitada. A página impressa com sua imensa riqueza de imagem visual era desconhecida. O desenho e outras artes similares eram raros e primitivos.

Deus ordenou aos pais que escrevessem a lei divina primeiro em suas casas; mas também disse: “e nas tuas portas”, isto é, nos portões das cidades. Naqueles tempos, era um local único de entrada e saída, de atos sociais e legais, e transações comerciais. A lei divina não era somente ensinada em casa — às crianças pelos pais — mas também em público, o que incluía os estrangeiros, nos portões da cidade.

5. Os pais ensinando sempre aos filhos (Dt 11.19). Noutras palavras, ensinando em todo o tempo; aproveitando todas as oportunidades. Esta mensagem também foi dirigida aos pais concernente aos filhos. Os pais devem estar bem conscientes e apercebidos de que os anos da infância não voltam mais. Lembre-se: o que for aprendido nessa fase, durará por toda a vida.

 

II. PROMESSAS DE DEUS AOS PAIS

 

Em Deuteronômio 11.21, Deus faz promessas aos pais, porém promessas sob condições evidenciadas nas palavras “para que”. São condições embutidas na obediência dos pais às instruções dadas nos versículos anteriores (vv.18-20).

1. A condição da doutrina do Senhor (vv.18-20). A doutrina conhecida e semeada na mente dos pequeninos, com amor e perseverança, e exemplificada na vida dos pais.

2. Vida longa para todos da família (v.21a). O sentido do vocábulo “filhos” nesta passagem vai além dos membros atuais da família, e inclui os demais descendentes. Uma cena dolorosa e difícil na família é quando a morte ceifa a vida de alguém, e pior ainda quando isso acontece prematura e inesperadamente. No entanto, temos neste verso uma promessa de vida longa, dada por Deus, relacionada à sua Palavra.

3. Bênçãos dos céus pela Palavra (v.21b). Bênçãos não apenas terrenas, seculares, materiais, mas também bênçãos que comunicam as maravilhas dos altos céus. É, pois, compensador lidar com a Palavra de Deus a partir do lar. Isso redunda em bênçãos a curto, a médio e a longo prazo.

 

III. ENSINANDO NO LAR PELA DISCIPLINA

 

No grandioso e celebrado texto de Provérbios 22.6, um dos sentidos no original da expressão — “instrui o menino” — é treinamento prático, metódico, seguido e crescente, como o de uma tropa militar. A palavra “disciplina” é de raiz latina e quer dizer “ensinar”. O dicionário define que disciplinar é controlar a vontade; é moldar o “eu”; é ensinar a obedecer conscientemente, para os devidos fins. O termo “discípulo” (que vem do mesmo vocábulo latino) quer dizer “aprendiz”, “aluno”. Disciplinar a criança não é primeiramente castigá-la por algum motivo, mas ensinar-lhe algo metódica e gradualmente; inclusive a cuidar da sua formação e conservação de bons hábitos. Amar os filhos sem discipliná-los é sentimentalismo aliado à ignorância dos pais e não amor real, pois quem ama sinceramente não despreza a disciplina. Por outro lado, disciplinar os filhos sem amá-los de verdade é tirania, prepotência e ignorância. Todos os pais devem estudar na Bíblia o ensino da criança pela disciplina e também a puericultura de base cristã.

 

IV. O EFEITO DO ENSINO DA PALAVRA DE DEUS

 

No final do último livro da Lei — Deuteronômio — o ensino aos filhos é reiterado (31.12,13).

1. No versículo 12, vemos o ensino coletivo, conjunto, público da criança. Não é uma ideia, sugestão ou pedido. É um imperativo divino. Se os pais muito cedo não instilarem o ensino da lei divina na alma da criancinha, o mundo ímpio logo o fará com os numerosos e atraentes recursos da mídia, tendo o Diabo, “o príncipe deste mundo”, ocultamente como mentor.

2. No versículo 12, percebemos que a Palavra ouvida e vista ainda é o mais eficiente canal de aprendizado. Nem sempre os meios visuais estão disponíveis por serem dependentes de outros recursos materiais, mas o canal da fala é universal e sempre presente em qualquer lugar.

3. O temor de Deus não é só comunicado pelo efeito da Palavra; é também aprendido através do ensino ministrado com oração e a graça do Senhor (v.12).

4. O temor a Deus e a obediência à Palavra (vv.12,13). A obediência à Palavra é uma consequência do temor a Deus. O povo desobedece aos ensinos da Bíblia por falta desse temor. Muitos alegam ignorância, mas isso é hipocrisia, porque o temor ao Senhor dá-nos sabedoria (Jó 28.28) e faz-nos obedientes (Ne 5.15).

 

V. A CRIANÇA NO ENFOQUE GERAL

 

1. A formação da personalidade na criança é quádrupla.

a) Formação cristã. Concerne à doutrina cristã (Ef 6.4);

b) Formação social. Concerne à disciplina cristã;

c) Formação moral. Concerne ao caráter cristão;

d) Formação intelectual. Concerne à escolarização.

2. A mãe e a criança. É a mãe quem mais influi na formação do caráter dos filhos; por ficar mais tempo com eles e consequentemente cuidar deles.

3. Jesus e a criança.

a) Jesus veio ao mundo como criança (isso dignifica-a);

b) Jesus e seu exemplo de obediência aos pais (Lc 2.41,51);

c) Jesus destacou publicamente a criança (Mc 9.36; 10.13-16; Mt 18.2,10).

4. A igreja e a criança. Se a igreja (além do lar) não cuidar da criança hoje, para ensinar-lhe as bênçãos que o Senhor tem para dar-nos, amanhã a igreja não terá adolescentes, jovens, nem adultos para executar a sua missão. Não podemos esperar para colher frutos de plantas de que não cuidamos (Pv 28.19). A ordem de Jesus para a igreja é “apascenta os meus cordeirinhos” (Jo 21.16 — literalmente).

 

CONCLUSÃO

 

O dever essencial dos filhos é obedecer aos pais “no Senhor”. Não à moda dos pais, mas segundo o ensino do Senhor nas Escrituras. (Ler Efésios 6.23 e Colossenses 3.20.) Obedecer não é uma opção dos filhos; é uma ordem de Deus. Muitos filhos hoje sofrem, inclusive de maneira misteriosa e inexplicável, por ter quebrado esse preceito divino (Êx 20.12). A má sementeira da desobediência e rebeldia dos filhos trará logo mais a sua colheita de males (Gl 6.7).

 

VOCABULÁRIO

 

Fenecer: Terminar, acabar, extinguir-se.
Hipocrisia: Impostura, fingimento, simulação, falsidade.
Ignorância: Estado de quem ignora ou desconhece alguma coisa, não tem conhecimento dela.
Instilar: Introduzir gota a gota.
Mentor: Pessoa que guia, ensina ou aconselha outra; guia, mestre, conselheiro.
Metódico: Conjunto dos meios dispostos convenientemente para alcançar um fim.
Perdurar: Durar muito; continuar a existir; permanecer, persistir, substituir.
Redundar: reverter, resultar, converter-se em.
Reverência: Respeito, marcado pelo temor, às coisas sagradas.
Vulnerável: Diz-se do lado fraco de um assunto ou de uma questão, ou do ponto pelo qual alguém pode ser atacado ou ferido.

 

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

 

Criando os Filhos no Caminho de Deus. Kathi Hudson, CPAD.

 

EXERCÍCIOS

 

1. Quais as duas ocasiões em que Jesus priorizou as crianças?

R. Em Marcos 10.14-16, quando as abençoou e em João 21.16, depois de haver ressuscitado.

 

2. Onde devemos guardar a Palavra de Deus, além da mente?

R. No coração.

 

3. O que os psicólogos e pedagogos modernos ensinam sobre a disciplina da criança?

R. Que basta ensinar a criança com amor, esquecendo-se da firmeza, da correção e da disciplina.

 

4. Que promessa divina para os pais em relação aos filhos temos em Dt 11.21?

R. Vida longa para toda a família.

 

5. Quem mais influencia na formação do caráter dos filhos, e por que?

R. A mãe por que é quem fica com o maior tempo com eles.

 

AUXÍLIOS SUPLEMENTARES

 

Subsídio Bibliológico

 

“A habilidade de ler é essencial ao aprendizado e um importante ingrediente para uma vida de sucesso. Desse modo, para alcançarmos a vontade de Deus e sermos bem-sucedidos precisamos obedecer-lhe através da leitura da Bíblia. Como pais cristãos, nosso principal objetivo é treinar nossos filhos e desenvolver-lhe esta capacidade.

A Bíblia nos instrui repetidamente a lê-la, enfatizando o valor da leitura: ‘Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia’ (Ap 1.3). ‘E leram o livro, na lei de Deus, e declarando e explicando o sentido, faziam que, lendo, se entendesse’ (Ne 8.8).

Várias questões vêm à tona quando discutimos a importância da leitura. Em primeiro lugar, nossos filhos estão aptos a ler bem? Será que estamos alertas para os chocantes índices de ignorância entre os adultos, resultado das inabilidades de leituras desenvolvidas na escola?

Para que nossos filhos sejam bem-sucedidos em cada área de suas vidas, eles precisam ser hábeis leitores. Apenas uma pequena porcentagem de estudantes em qualquer nível escolar americano — entre dois a quatro por cento — lê em nível ‘avançado’. Esta habilidade é vital tanto para o estudo das Escrituras, bem como para o sucesso em qualquer tipo de trabalho especializado, segurança ou informação do cidadão que deseja verdadeiramente viver uma vida de qualidade. A leitura é importante para o aprendizado, entretenimento e funções básicas de atuação social.

Você pode ajudar seu filho a tornar-se um leitor exemplar...

... A melhor maneira de os pais ajudarem seus filhos mais novos a tornarem-se leitores é lendo para eles. Você pode começar a ler para seu filho tão logo comece a falar com ele — desde o nascimento (algumas pessoas o fazem durante a gestação!). E você nunca deveria parar” (Criando os Filhos no Caminho de Deus. Kathi Hudson, CPAD).