Lições Bíblicas CPAD

Jovens e Adultos

 

 

2º Trimestre de 2004

 

Título: Família Cristã — Eu e a minha casa serviremos ao Senhor

Comentarista: Eliezer de Lira e Silva

 

 

Lição 7: A família e a Terceira Idade

Data: 16 de Maio de 2004

 

TEXTO ÁUREO

 

Na velhice ainda darão frutos; serão viçosos e florescentes(Sl 92.14).

 

VERDADE PRÁTICA

 

A terceira idade não deve ser vista como o fim de uma existência, mas como o início de uma nova etapa na vida do ser humano.

 

LEITURA DIÁRIA

 

Segunda - Sl 71.9

A oração do idoso

 

 

Terça - Is 65.22

A velhice como promessa divina

 

 

Quarta - Rt 4.15

Velhice — tempo de recreação

 

 

Quinta - Js 8.32

É possível ter uma boa velhice

 

 

Sexta - Gn 15.15

A velhice pode ser um período de paz

 

 

Sábado - Jó 12.12

A velhice é um tempo de sabedoria

 

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

 

Salmos 71.1-9.

 

1 - Em ti, Senhor, confio; nunca seja eu confundido.

2 - Livra-me na tua justiça e faze que eu escape; inclina os teus ouvidos para mim e salva-me.

3 - Sê tu a minha habitação forte, à qual possa recorrer continuamente; deste um mandamento que me salva, pois tu és a minha rocha e a minha fortaleza.

4 - Livra-me, meu Deus, das mãos do ímpio, das mãos do homem injusto e cruel,

5 - pois tu és a minha esperança, Senhor Deus; tu és a minha confiança desde a minha mocidade.

6 - Por ti tenho sido sustentado desde o ventre; tu és aquele que me tiraste do ventre de minha mãe; o meu louvor será para ti constantemente.

7 - Sou como um prodígio para muitos, mas tu és o meu refúgio forte.

8 - Encha-se a minha boca do teu louvor e da tua glória todo o dia.

9 - Não me rejeites no tempo da velhice; não me desampares, quando se for acabando a minha força.

 

PONTO DE CONTATO

 

Neste domingo, estaremos trabalhando com um assunto interessante e bastante atual. O tema da Terceira Idade vem sendo amplamente tratado e discutido nas escolas, universidades, empresas, comunidades, associações e em diversos órgãos humanitários no Brasil e em várias partes do mundo. Todos estão interessados neste grupo etário que cresce vertiginosamente a cada ano. E as famílias cristãs? Como têm tratado seus idosos? 0 que têm feito para melhorar sua qualidade de vida? E a Igreja de Cristo? O que tem planejado neste sentido? Levante estes, e outros questionamentos similares em sua classe.

 

OBJETIVOS

 

Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:

  • Relacionar variados textos bíblicos que ensinam como devemos cuidar dos idosos na igreja e fora dela.
  • Enumerar as limitações da Terceira Idade a fim de melhor compreendê-la.
  • Arranjar maneiras de melhor aproveitar o potencial de nossos idosos, no lar e na igreja.

 

SÍNTESE TEXTUAL

 

Deus é refúgio, fortaleza, proteção e consolo em todas as fases da nossa vida. 0 Todo-Poderoso jamais nos abandona, mesmo quando nossas forças físicas começam a falhar e os males do envelhecimento se tornam evidentes e inevitáveis.

Deus é fiel e cumpre cabalmente sua parte, auxiliando-nos em todas as épocas e circunstâncias da nossa vida. Em relação a isso não temos dúvidas! Mas... e quanto à parte humana? Temos assistido aos nossos idosos a contento? Devotamos a eles nosso respeito, admiração, cuidado e reconhecimento?

Ou os ignoramos como se fossem objetos descartáveis. Que Deus tenha misericórdia de nós!

 

ORIENTAÇÃO DIDÁTICA

 

É imprescindível que cada igreja local organize um ministério voltado exclusivamente para a Terceira Idade. Na Escola Dominical, por exemplo, deveria haver uma classe especial, uma vez que nesta faixa de idade, o processo de aprendizado é diferente das demais. Na Terceira Idade, a aprendizagem é mais centrada no próprio aluno, pois, de certa forma, esses alunos são mais independentes e auto-sugestivos. Eles costumam aprender aquilo que realmente precisam e estão interessados em saber. Ou seja, aprendem para aplicar imediatamente na vida prática. Preferem aprender através da resolução de problemas com base nas próprias experiências.

Discuta esse tópico com a turma. Tente descobrir novas possibilidades de envolver os idosos no programa geral da Escola Dominical.

 

COMENTÁRIO

 

introdução

 

Em alguns períodos da história, chegar aos 60 anos era uma façanha reservada às classes privilegiadas. Houve um tempo, em Roma, que as mulheres dificilmente conseguiam ultrapassar a terceira década de sua existência. Aliás, até o século XIX, a expectativa de vida, na Europa, não ia além dos 45 anos. Portanto, raramente se falava em menopausa e em especialidades médicas como a geriatria. Naquele tempo, pouco se falava acerca da Terceira Idade. Hoje, porém, com o significativo aumento da expectativa de vida, há que se encarar, amorosa e otimisticamente, esta fase tão importante da existência humana.

Como temos agido em relação aos nossos familiares da Terceira Idade? Nesta lição, aproveitemos a oportunidade para repensar nossas atitudes em relação aos idosos. Afinal, como todos desejamos ser bem tratados nessa fase da vida, que levemos em conta o princípio da semeadura e da colheita (Gl 6.7).

 

I. O QUE É A TERCEIRA IDADE

 

Via de regra, a Terceira Idade é a faixa etária da vida humana que começa a partir dos 60 anos. O salmista refere-se a esta fase de nossa vida: “A duração da nossa vida é de setenta anos, e se alguns, pela sua robustez, chegam a oitenta anos, o melhor deles é canseira e enfado, pois passa rapidamente, e nós voamos” (Sl 90.10).

Como se vê, nessa passagem, a Terceira Idade, para os judeus, começava aos 70 anos. De qualquer forma, eis um problema que requer pronta solução de uma sociedade que, contaminada pelo imediatismo, não está disposta a amparar os que a ajudaram a construí-la.

 

II. AS LIMITAÇÕES DA TERCEIRA IDADE

 

Não são poucas as limitações em decorrência da Terceira Idade: sociais, econômicas, físicas, psicológicas e até espirituais. Por isto, devem os ministérios de nossa igreja, voltados para a Terceira Idade, estar atentos a todas elas, objetivando proporcionar aos idosos uma melhor condição para se viver.

1. Limitações sociais. Achegada da Terceira Idade coincide, geralmente, com a aposentadoria, período em que tanto o homem quanto a mulher, por mais importantes que tenham sido, podem cair numa profunda depressão em virtude da sensação de inutilidade. Haja vista o que aconteceu com o profeta Samuel. Rejeitado em sua velhice, foi tomado por uma profunda tristeza. Deus, entretanto, como o Psicólogo dos psicólogos, soube como tratar o seu servo, dando-lhe uma nova perspectiva de vida (1Sm 8.1-9).

2. Limitações econômicas. A Terceira Idade representa também uma significativa queda no poder aquisitivo. Ciente disto, o salmista ora ao Senhor: “Não me rejeites no tempo da velhice; não me desampares, quando se for acabando a minha força” (Sl 71.9).

3. Limitações físicas. Por mais robusto que seja o ser humano, não poderá escapar às limitações físicas que lhe impõem a Terceira Idade (Ec 12.1-9). Aparecem a canseira e o enfado (Sl 90.10). A visão perde a sua força (Gn 27.1). 0 vigor vai desaparecendo (Gn 17.17).

4. Limitações psicológicas. É necessário compreender que as motivações psicológicas de um idoso não são as mesmas de um jovem. Leia com atenção 2 Samuel 19.34-37. Por isto ajamos com discernimento para oferecer-lhes algo que realmente os ajude nesta tão importante fase da vida.

Salomão discorre sobre os problemas psicológicos enfrentados na Terceira Idade: “como também quando temerem o que está no alto, e houver espantos no caminho, e florescer a amendoeira, e o gafanhoto for um peso, e perecer o apetite; porque o homem se vai à sua eterna casa, e os pranteadores andarão rodeando pela praça” (Ec 12.5).

5. Limitações espirituais. Há idosos que apresentam uma significativa queda em sua vida espiritual, principalmente quando deixam a liderança de um ministério. Vimos o que aconteceu ao profeta Samuel.

A família e a igreja, portanto, devem estar atentas e preparadas para ajudar os seus idosos a superar as suas limitações, porque grandes são as possibilidades encontradas na Terceira Idade.

 

III. AS POSSIBILIDADES DA TERCEIRA IDADE

 

Vejamos como poderemos aproveitar melhor nossos idosos. Podem eles atuar como:

1. Auxiliar na educação dos netos. Neste caso, não devemos sobrecarregá-los com uma obrigação que é prioritariamente nossa. Todavia, mostram-se eles excelentes pedagogos na condução dos netos: transmitem a estes não somente deveres, mas também sublimes lições de vida. Lembra-se de Noemi? Ela foi consolada com a chegada de seu neto do coração (Rt 4.13-17).

2. Conselheiros dos mais jovens. Mostra-nos a história que desprezar o conselho dos mais velhos não é um bom negócio. Por não ouvi-los, Roboão perdeu boa parte de seu reino (1Rs 12.1-15). Se a idade não lhes permite dirigir, autoriza-os a aconselhar. E os anciãos que, tanto em Israel quanto na Igreja Primitiva, ajudavam na orientação dos negócios do Reino de Deus? (Êx 4.29; 19.7; At 15.2).

3. Intercessores. Ai de nós se não fosse a intercessão da Terceira Idade! Os idosos permanecem de joelhos para que o mais jovem nos mantenha de pé. A idosa Ana não deixava o templo; em jejuns e orações, esperava ela a consolação de Israel (Lc 2.36-38). E foi em sua avançada idade que contemplou a consolação do povo de Deus — Jesus de Nazaré.

4. Voluntários. É importante saber que os anciãos buscam algo para fazer, quer em casa quer na igreja, não pela remuneração financeira. O que eles querem é ser úteis. Portanto, preparemo-los para que executem funções de acordo com sua faixa etária; por menores que sejam, haverão de trazer-lhes grandes expectativas quanto ao futuro. Aliás, não pense você que o futuro é propriedade exclusiva dos mais novos; é uma herança que o bondoso Deus concede a cada um de seus filhos (Pv 23.18).

 

IV. AS OBRIGAÇÕES DA FAMÍLIA E DA IGREJA COM A TERCEIRA IDADE

 

Tanto a família quanto a igreja, tudo devem fazer para proporcionar aos idosos uma ótima qualidade de vida.

1. Obrigações da família. Levando sempre em consideração a Bíblia Sagrada, nossa única regra de fé e prática, estas são as obrigações da família em relação aos seus idosos:

a) Tributar-lhes as devidas honras. Este mandamento, entregue por Moisés a Israel, foi prontamente referendada no Novo Testamento: “Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa” (Ef 6.2). Atentemos a mais esta demanda da Palavra de Deus: “Diante das cãs te levantarás, e honrarás a face do velho, e terás temor do teu Deus. Eu sou o Senhor” (Lv 19.32).

b) Não roubar os velhos. Há filhos e netos que, aproveitando-se das limitações de seus idosos, apropriam-se de suas senhas bancárias e de documentos para roubar as suas economias. Este comportamento é abominável diante de Deus: “O que rouba a seu pai ou a sua mãe e diz: Não há transgressão, companheiro é do destruidor” (Pv 28.24).

c) Não impedir-lhes as segundas núpcias. Cabe aos filhos orientar os pais viúvos na realização de segundas núpcias, e não causar-lhes embaraços, visando apenas a completa posse de seus bens.

Amor e romantismo não são monopólios dos jovens; os idosos também possuem as suas expectativas e necessidades. Que haja orientação e conselho, e não impedimentos injustificáveis.

d) Sustentar os idosos. Como seria triste se um crente fosse constrangido, pela lei secular, a sustentar seus idosos. Que exemplo nos dá José! Ele sustentou a seu velho pai com toda a sua casa (Gn 45.1-5; 1Tm 5.4).

e) Proporcionar-lhes acompanhamento médico. Que os idosos recebam tratamento médico adequado, para que possam desfrutar, com saúde, as grandes possibilidades de sua faixa etária.

2. Obrigações da igreja. Deve a igreja, o mais depressa possível, organizar um ministério voltado exclusivamente à Terceira Idade. Eis algumas sugestões:

a) A classe da Escola Dominical voltada à Terceira Idade. Como possuem eles interesses (e problemas) comuns, poderão compartilhar suas experiências, ajudando uns aos outros.

b) Cursos para a Terceira Idade. Durante a semana, poderão os idosos frequentar um curso, nas dependências da igreja, que muito os ajudarão a remir o tempo.

c) Trabalho espiritual. Os idosos muito poderão ajudar a igreja, intercedendo, evangelizando, visitando e aconselhando.

d) Mantendo os idosos amparados. Como povo de Deus, nossos asilos e lares têm de ser um modelo de tratamento, asseio e cuidado com os integrantes da Terceira Idade.

Enfim, que cada igreja faça um levantamento consciente das condições de seus idosos, tendo em vista proporcionar-lhes um modo de vida consoante às recomendações bíblicas.

 

CONCLUSÃO

 

No início desta lição, falamos que o aumento da expectativa de vida trouxe muitos problemas aos idosos; tais dificuldades requerem pronta solução. Mas a questão toda não deve residir na expectativa de vida, e sim na perspectiva que podemos, com a ajuda de Deus, proporcionar-lhes.

Portanto, voltemo-nos com mais amor e atenção à Terceira Idade, sabendo que esta é a vontade de Deus.

 

VOCABULÁRIO

 

Abominável: detestável; execrável.
Consoante: Conforme, segundo.
Constrangido: Forçado, obrigado, contrafeito.
Demanda: Exigência; determinação.
Dependência: Edificação anexa a outra principal.
Discernimento: Faculdade de julgar as coisas clara e sensatamente; critério.
Menopausa: Término do ciclo menstrual; menostasia.
Monopólio: Tráfico, exploração, posse, direito ou privilégio exclusivos.
Perspectiva: Expectativa, esperança, probabilidade.
Poder aquisitivo: Capacidade de conquista de bens e serviços de um indivíduo ou grupo.
Psicólogo: Especialista na ciência dos fenômenos psíquicos e do comportamento.

 

EXERCÍCIOS

 

1. O que é a Terceira Idade?

R. É a faixa etária da vida humana que começa a partir dos 60 anos.

 

2. Quais as limitações da Terceira Idade?

R. Sociais, econômicas, físicas, psicológicas e até espirituais.

 

3. Quais as possibilidades da Terceira Idade?

R. Auxiliar na educação dos netos, conselheiros dos mais jovens, intercessores e voluntários.

 

4. Quais as obrigações da família com a Terceira Idade?

R. As obrigações da família com os idosos são: tributar-lhes a devida honra, não roubá-los, não impedir-lhes as segundas núpcias, sustentá-los e proporcionar-lhes acompanhamento médico.

 

5. Quais as obrigações da igreja com a Terceira Idade?

R. Ter uma classe voltada às suas necessidades, promover cursos e organizar trabalhos apropriados para ela na igreja e mantê-la amparada.

 

AUXÍLIOS SUPLEMENTARES

 

Subsídio Teológico

 

“O salmista estava velho e via sua vida como um ‘exemplo’, um sinal, uma prova de tudo o que Deus fez por ele (Sl 71.7,18). Lembrarmo-nos das bênçãos recebidas em nossa vida nos ajuda a enxergar a consistência da graça de Deus ao longo dos anos, incentiva-nos a confiar nEle quanto ao futuro e a falar aos outros sobre os benefícios de segui-lo.

Se olharmos para trás, reconheceremos que Deus foi a nossa ajuda constante. À medida que a força física diminui, precisamos ainda mais de Deus, e percebemos que Ele ainda é a nossa ajuda constante. Nunca devemos desesperar, mas continuar a esperar por sua ajuda. Não importa quão severas sejam as nossas limitações. A esperança nEle nos ajuda a seguir adiante e a servi-lo.

Uma pessoa nunca é idosa demais para servir a Deus, e nunca é idosa demais para orar. Embora a idade possa nos impedir de realizar certas atividades físicas, não é necessário que acabe com o nosso desejo de falar aos outros (especialmente às crianças e jovens) sobre tudo o que vimos e ouvimos Deus fazer durante nossos muitos anos de vida...

...A atitude de honrar a Deus não está limitada aos jovens, que parecem ter força e energia limitadas. Até na velhice, os crentes podem produzir frutos espirituais. Existem muitos idosos que continuam a ter uma perspectiva atual e podem transmitir-nos grandes experiências por servirem a Deus durante tanto tempo. Procure um amigo ou parente de idade avançada que possa contar-lhe a respeito de suas experiências com o Senhor e desafiá-lo a alcançar padrões mais altos em seu crescimento espiritual” (Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal. CPAD, pp.783,784,798).