Lições Bíblicas CPAD

Jovens e Adultos

 

 

4º Trimestre de 2004

 

Título: Vem o fim, o fim vem — A doutrina das últimas coisas

Comentarista: Claudionor Corrêa de Andrade

 

 

Lição 3: Os sinais da volta de Cristo

Data: 17 de Outubro de 2004

 

TEXTO ÁUREO

 

Ora, quando essas coisas começarem a acontecer, olhai para cima e levantai a vossa cabeça, porque a vossa redenção está próxima(Lc 21.28).

 

VERDADE PRÁTICA

 

“Multiplicados os sinais estão; No oriente se vê o alvor; Breve, os crentes subirão; Quem dera hoje vir!” (Harpa Cristã 125).

 

LEITURA DIÁRIA

 

Segunda - 2 Pe 1.20

A profecia tem de ser interpretada segundo a Bíblia

 

 

Terça - 2 Pe 1.21

A profecia da Bíblia veio do Espírito Santo

 

 

Quarta - Ap 1.3

Bem-aventurado o que lê a profecia bíblica

 

 

Quinta - Ap 22.7

Guardemos as palavras da profecia da Bíblia

 

 

Sexta - Ap 22.10

As palavras da profecia não estão seladas

 

 

Sábado - Ap 19.10

O testemunho de Jesus é o espírito da profecia

 

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

 

Mateus 24.1-14.

 

1 - E, quando Jesus ia saindo do templo, aproximaram-se dele os seus discípulos para lhe mostrarem a estrutura do templo.

2 - Jesus, porém, lhes disse: Não vedes tudo isto? Em verdade vos digo que não ficará aqui pedra sobre pedra que não seja derribada.

3 - E, estando assentado no monte das Oliveiras, chegaram-se a ele os seus discípulos, em particular, dizendo: Dize-nos quando serão essas coisas e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo?

4 - E Jesus, respondendo, disse-lhes: Acautelai-vos, que ninguém vos engane,

5 - porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; e enganarão a muitos.

6 - E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.

7 - Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares.

8 - Mas todas essas coisas são o princípio das dores.

9 - Então, vos hão de entregar para serdes atormentados e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as gentes por causa do meu nome.

10 - Nesse tempo, muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se aborrecerão.

11 - E surgirão muitos falsos profetas e enganarão a muitos.

12 - E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos se esfriará.

13 - Mas aquele que perseverar até ao fim será salvo.

14 - E este evangelho do Reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as gentes, e então virá o fim.

 

PONTO DE CONTATO

 

Como foi a aula no domingo passado? Você alcançou os objetivos propostos? Os alunos participaram fazendo observações sobre o assunto? Percebeu a ação do Espírito Santo sobre sua classe? Lembre-se: a participação, a criatividade e o dinamismo são imprescindíveis ao aprendizado de seus alunos. Faça algo que lhes desperte o interesse. Inicie esta lição narrando algum fato jornalístico que ateste a atualidade dos sinais da vinda de Cristo. Dê aos seus alunos a possibilidade de discorrer sobre os eventos mundiais que comprovam as profecias bíblicas e, a partir dessas notícias, exponha a matéria com ênfase, temor e direção do Espírito Santo. Este tema é tanto profético quanto evangelístico, portanto, havendo visitantes não crentes, convide-os a aceitarem Cristo como Salvador.

 

OBJETIVOS

 

Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:

  • Definir o que são os sinais da volta de Cristo.
  • Relacionar os fatos históricos de Israel à volta de Cristo.
  • Enumerar os sinais da volta de Cristo referentes ao mundo.

 

SÍNTESE TEXTUAL

 

Nos estudos proféticos, “sinal” é tudo aquilo que serve de advertência e, que possibilita prever ou reconhecer a aproximação de um fato profético relevante. O vocábulo, no grego sēmeion, tanto aponta para os atos milagrosos (Mt 12.38; 16.1), quanto para os eventos que antecedem a vinda de Cristo (Mt 24.3), podendo os dois sentidos virem combinados (At 2.19,22). Os sinais, no entanto, precisam ser interpretados como eventos que demarcam o tempo histórico e o profético. No primeiro, um fato real separa um tempo histórico do outro, como o Nascimento de Cristo que distingue a antiga da nova aliança, ou o Arrebatamento, que separa a Graça do período da Grande Tribulação. No segundo, são uma sucessão de eventos que anteveem a aproximação ou o fim de um tempo profético, como por exemplo, os sinais expostos em Mt 24.1-14; 1 Ts 5.1-3; 1 Tm 4.1-3; 2 Tm 3.1-9, que apontam para o fechamento do calendário profético para os gentios. Um estudo das Setenta Semanas de Daniel confirma tanto um argumento quanto o outro.

 

ORIENTAÇÃO DIDÁTICA

 

Professor, para esta lição, usaremos um Diagrama Representativo. Trata-se de uma reprodução gráfica dos principais conceitos de um determinado conteúdo exemplificado através de palavras, traços e figuras que visam a síntese do assunto de forma criativa e eficaz. Tanto a Leitura Bíblica quanto o Comentário fornece-nos tipos de sinais que podem ser classificados da seguinte forma: Religioso (R), Político (P), Social (S) e Físico (F). Estes podem ser divididos em sinais referentes a Israel e ao Mundo.

 

 

COMENTÁRIO

 

introdução

 

Estudaremos, neste domingo, os sinais concernentes à volta de Cristo. Mostram-se estes tão claros e inequívocos que, confrontados com os jornais seculares, de imediato alertam-nos: Jesus está voltando! Não podemos encará-los, por conseguinte, de maneira pessimista e ansiosa. Pois o Senhor no-los aponta como o prenúncio de nossa completa redenção: “Ora, quando essas coisas começarem a acontecer, olhai para cima e levantai a vossa cabeça, porque a vossa redenção está próxima” (Lc 21.28). Aleluia!

Dentro em breve, virá o Senhor arrebatar a sua Igreja. E, assim, estaremos para sempre com Ele. Você está preparado para este grande dia? Que as nossas vestes estejam sempre brancas, e que jamais nos falte o óleo sobre a cabeça!

 

1. O QUE SÃO OS SINAIS DA VOLTA DE JESUS

 

Os sinais relativos à volta de Nosso Senhor Jesus Cristo estão alinhados numa série de profecias, cujo principal objetivo é alertar os salvos a estarem convenientemente preparados para o arrebatamento da Igreja. No Sermão Profético, faz-nos o Senhor esta advertência: “Igualmente, quando virdes todas essas coisas, sabei que ele está próximo, às portas” (Mt 24.33).

Tendo em vista à relevância desses sinais, consideremo-los:

1. Com amor. “Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele Dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem, a sua vinda” (2 Tm 4.8).

2. Com sobriedade e vigilância. “E já está próximo o fim de todas as coisas; portanto, sede sóbrios e vigiai em oração” (1 Pe 4.7).

3. Com paciência. “Sede, pois, irmãos, pacientes até a vinda do Senhor. Eis que o lavrador espera o precioso fruto da terra, aguardando-o com paciência, até que receba a chuva têmpora e serôdia” (Tg 5.7).

4. Com discernimento. “Aprendei, pois, esta parábola da figueira: quando já os seus ramos se tornam tenros e brotam folhas, sabeis que está próximo o verão” (Mt 24.32).

Vejamos, a seguir, alguns sinais que estão a prenunciar a iminência do rapto dos santos.

 

II. OS SINAIS DA VOLTA DE CRISTO REFERENTES A ISRAEL

 

Israel é o mais forte e claro prenúncio do iminente retorno de Cristo. Estes são os três momentos escatológicos mais importantes na vida do povo escolhido: 1) o renascimento de Israel como nação soberana; 2) a retomada de Jerusalém como a capital una e indivisível de Israel; e: 3) a reconstrução do Santo Templo como o lugar de adoração por excelência da nação judaica.

1. O renascimento de Israel como nação soberana. A volta dos judeus à terra de seus ancestrais foi um dos maiores milagres de todos os tempos. Eis o que predissera Isaías acerca daquele 14 de maio de 1948, quando o fundador do Estado de Israel, David Ben Gurion, lia a declaração de independência da jovem e milenar nação hebréia: “Quem jamais ouviu tal coisa? Quem viu coisas semelhantes? Poder-se-ia fazer nascer uma terra em um só dia? Nasceria uma nação de uma só vez? Mas Sião esteve de parto e já deu à luz seus filhos” (Is 66.8).

Aliás, o próprio Messias antecipou a restauração de Israel, ao evocar o renascimento da figueira (Mt 24.32). Leia ainda, com atenção, os capítulos 36 e 37 de Ezequiel.

2. A retomada de Jerusalém como a capital de Israel. O fato mais extraordinário ocorrido durante a Guerra dos Seis Dias, em junho de 1967, não foi a derrota infligida pelo exército de Israel às nações árabes. E, sim, a reconquista de Jerusalém que, desde que fora destruída por Nabucodonosor, em 586 a.C, vinha sendo pisoteada pelos gentios. Cumpria-se o que profetizara o Senhor Jesus: “E cairão a fio de espada e para todas as nações serão levados cativos; e Jerusalém será pisada pelos gentios, até que os tempos dos gentios se completem” (Lc 21.24). O tempo dos gentios, que teve início em 586 a.C, começa a chegar ao fim.

3. A reconstrução do Santo Templo. Há fortes evidências proféticas de que, em breve, o Santo Templo será reconstruído na Cidade Santa (Dn 9.27; Mt 24.15; 2 Ts 2.1-4). Isso pode ocorrer antes, ou depois, do arrebatamento da Igreja. De uma coisa, todavia, temos certeza: a Casa de Deus será reconstruída em Jerusalém. Essa possibilidade, por si própria, já se constitui num grande alerta àqueles que aguardam a volta de Cristo.

 

III. OS SINAIS DA VOLTA DE CRISTO REFERENTES AO MUNDO

 

Apesar de parecerem sem importância aos olhos dos incrédulos, todos os sinais relativos à vinda de Nosso Senhor tem de ser bíblica e teologicamente considerados. Vejamos mais alguns deles:

1. Proliferação de falsos profetas e doutores. “E Jesus, respondendo, disse-lhes: Acautelai-vos, que ninguém vos engane, porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; e enganarão a muitos” (Mt 24.4,5).

2. Guerras e conturbações internacionais. “E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim. Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares” (Mt 24.6,7).

3. Recrudescimento da perseguição contra os discípulos de Cristo. “Então, vos hão de entregar para serdes atormentados e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as gentes por causa do meu nome” (Mt 24.9).

4. Aumento dos escândalos na Igreja de Cristo. “Nesse tempo, muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se aborrecerão. E surgirão muitos falsos profetas e enganarão a muitos” (Mt 24.10,11). Isso decorre da existência da igreja na terra, e do joio que cresce no meio do trigo (Mt 13.30,40-43).

5. Multiplicação da iniquidade. “E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos se esfriará. Mas aquele que perseverar até ao fim será salvo” (Mt 24.12,13).

6. Fomes, pestes e terremotos. “e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares” (Mt 24.7).

7. A propagação universal do Evangelho de Cristo. “E este evangelho do Reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as gentes, e então virá o fim” (Mt 24.14).

Conquanto existam ainda muitos povos não-alcançados pelo Evangelho, não podemos ignorar que, em termos universais, o Evangelho já chegou aos confins da terra.

 

CONCLUSÃO

 

Não sabemos a data do arrebatamento da Igreja. De uma coisa, porém, temos absoluta certeza: Jesus não tarda a voltar . Os sinais e as profecias estão a alertar-nos de que esse dia está mui próximo: “Olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim” (Mt 24.6).

Alegremo-nos! Em breve, iremos ao encontro de Nosso Senhor!

Você está preparado para este grande dia? Ainda há tempo para você achegar-se ao Senhor, e aguardar o seu retorno.

Senhor Jesus, ajuda-nos a estar devidamente vigilantes. Que saibamos discernir os sinais, e interpretar corretamente os últimos acontecimentos desta era. Em teu nome, nós oramos. Amém!

 

VOCABULÁRIO

 

Iminência: A qualquer momento.
Inequívoco: Que não há erro.
Pessimista: Consideração negativa das coisas.
Recrudescimento: Ato ou efeito de aumentar; agravar.
Santo Templo: Santuário erigido em Jerusalém e consagrado ao culto do Único e Verdadeiro Deus.
Secular: Não religioso; relativo ao século.
Tempos dos Gentios: Refere-se ao calendário profético para as nações.

 

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

 

ALMEIDA, A. Manual da profecia bíblica. CPAD, 1999.
Bíblia de Aplicação Pessoal. CPAD, 2004.

 

EXERCÍCIOS

 

1. O que são os sinais concernentes à volta de Cristo?

R. Uma sucessão de eventos, descritos na Bíblia, cujo principal objetivo é alertar os salvos a estarem convenientemente preparados para o arrebatamento da igreja.

 

2. Quantos sinais e profecias, acerca da volta de Cristo, são mencionados nesta lição?

R. Dez sinais alinhados numa série de profecias referentes a Israel e ao Mundo.

 

3. Quais os principais sinais no âmbito da história de Israel?

R. O seu renascimento como nação soberana, a retomada de Jerusalém como sua capital e a reconstrução do Santo Templo.

 

4. Quais os sinais no âmbito político mundial?

R. Guerras e conturbações internacionais.

 

5. Quais os sinais no âmbito da natureza?

R. Fomes, pestes e terremotos.

 

AUXÍLIOS SUPLEMENTARES

 

Subsídio Teológico

 

“Entre os vários sinais que em nossos dias despontam no horizonte, e que apontam para a proximidade da Vinda de Jesus, pelo menos três se manifestam de forma sutil, sem que muitos percebam....

Um deles é a mudança da política mundial norte-americana. Os EUA sofrem um ônus político, social e econômico por sua política de proteção a Israel. Defendendo a soberania e a integridade do Estado judaico, os Estados Unidos têm feito muitos inimigos entre os países árabes, que postulam apoio irrestrito à causa palestina.

O alto ônus sócio-político-econômico, sofrido pela maior potência mundial, pode levar futuros presidentes dos EUA a diminuírem os cuidados dispensados hoje a Israel, e a abrirem um diálogo mais consistente com os seus inimigos. Este cenário de atenuamento de proteção aos filhos de Abraão permitirá que futuramente a Terra Santa sofra investidas...

Um outro sinal é a futura abertura do mundo muçulmano. Os países de tradição religiosa islâmica são predominantemente fechados e tendentes ao radicalismo sócio-político-religioso...

A necessidade de apoio que os países árabes terão das nações desenvolvidas fará com que os muçulmanos procedam algumas aberturas, que facilitarão, no futuro, o governo do Anticristo, já que seu governo abarcará todo o mundo. Sobre isso, há um terceiro e último a se destacar: o avanço tecnológico para controle total da humanidade. Esse último aponta para a marca da besta (Ap 13.16-18).” (AÍAS, F. In Mensageiro da Paz. Ano 72, N° 1.414, Março 2003, p.15).