Lições Bíblicas CPAD

Jovens e Adultos

 

 

3º Trimestre de 2006

 

Título: As Doutrinas Bíblicas Pentecostais

Comentarista: Antonio Gilberto

 

 

Lição 13: O Espírito Santo e a vinda de Jesus

Data: 24 de Setembro de 2006

 

TEXTO ÁUREO

 

Aquele que testifica estas coisas diz: Certamente, cedo venho. Amém! Ora, vem, Senhor Jesus!(Ap 22.20).

 

VERDADE PRÁTICA

 

Todos os santos e fiéis servos de Deus esperam ansiosamente, pelo retorno de Nosso Senhor Jesus Cristo.

 

LEITURA DIÁRIA

 

Segunda - At 1.10,11

Jesus virá — é a mensagem pentecostal

 

 

Terça - Tt 2.13

Jesus virá — é mensagem vinda do céu

 

 

Quarta - 1 Co 15.51

Jesus virá — é o mistério da nossa plena redenção

 

 

Quinta - 1 Ts 4.13-17

Jesus virá — é o nosso eterno consolo

 

 

Sexta - Ap 3.3

Jesus virá — é o nosso motivo de vigilância

 

 

Sábado - Tg 5.8

Jesus virá — sua vinda está bem próxima

 

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

 

1 Tessalonicenses 4.13-18.

 

13 - Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais, como os demais, que não têm esperança.

14 - Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem Deus os tornará a trazer com ele.

15 - Dizemo-vos, pois, isto pela palavra do Senhor: que nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, não precederemos os que dormem.

16 - Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro;

17 - depois, nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor.

18 - Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras.

 

PONTO DE CONTATO

 

Professor, no mesmo ano em que Daniel Berg foi batizado com o Espírito Santo, encontrou-se com Gunnar Vingren. Os dois conversaram por muito tempo a respeito da convicção que tinham no batismo com o Espírito Santo, nas Sagradas Escrituras e na chamada missionária. Os dois missionários não tinham qualquer dúvida de que Deus os havia unido para um propósito específico. Foi assim, que após quatorze dias de viagem, no dia 19 de novembro de 1910, Daniel Berg e Gunnar Vingren aportaram no Pará. Em 1911, a irmã Celina de Albuquerque é batizada com o Espírito Santo, seguida da irmã Nazaré que ao ser batizada com o Espírito Santo, cantou um hino espiritual. No dia 18 de junho de 1911, a Igreja Evangélica Assembléia de Deus é fundada.

 

OBJETIVOS

 

Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:

  • Descrever os sinais que antecedem a vinda de Cristo.
  • Explicar as duas fases da vinda de Cristo.
  • Citar os propósitos da vinda de Jesus.

 

SÍNTESE TEXTUAL

 

Na atual dispensação da graça, o ministério do Espírito Santo aos crentes, prepara-os para o arrebatamento: santificando-os a fim de que agradem a Deus (1 Pe 1.2; 2 Ts 2.13; Hb 12.14); e, selando-os para o dia da redenção (2 Co 1.22; 5.5; Ef 1.14). Mas, na atual era, o Espírito também ministra aos incrédulos: convencendo-os do pecado, da justiça e do juízo (Jo 16.18), e impedindo a manifestação do Anti-cristo no mundo (2 Ts 2.3-8). No arrebatamento, o Espírito vivificará os nossos corpos mortais, transformando-os à semelhança do glorioso corpo de nosso Senhor Jesus Cristo (Rm 8.11; 1 Co 15.51-54; 1 Jo 3.2; 2 Co 3.18; 1 Ts 4.16,17).

 

ORIENTAÇÃO DIDÁTICA

 

Professor, nesta lição use como recurso uma das técnicas do método expositivo, a Exposição Dialógica. Consiste em transformar a aula expositiva tradicional em diálogo, que permite a troca de experiências entre professor e aluno. Este método consiste em duas partes: perguntas e problemática. Na primeira fase, questionamento, indague os alunos a respeito da atuação do Espírito Santo na vinda de Cristo. Procure transformar a exposição oral, às vezes, um monólogo, em diálogo ou colóquio. A problemática, por outro lado, além de complementar a pergunta, provoca a elaboração de soluções para as situações-problema. É necessário, portanto, admitir-se contestações, idéias e conceitos distintos, uma vez que se trata de um diálogo. Mas, jamais deixe o aluno sem o conhecimento da verdade dogmática das Escrituras.

A aula dialógica divide-se em três seções. Introdução — em que o aluno é preparado para o tema. Desenvolvimento — a lição ou diálogo propriamente dito, na qual ocorrem as contestações e re-elaboração. Conclusão — ocasião em que o conhecimento é consolidado mediante aplicação prática, onde a teoria é testada, descobrindo-se seus limites e valores.

 

COMENTÁRIO

 

introdução

 

O assunto da vinda de Cristo é parte inerente da pregação do evangelho (Mt 24.14). Foi isso que o apóstolo Pedro deixou bem claro no Dia de Pentecostes, na primeira mensagem evangelística registrada na Bíblia (At 2.14-21).

A vinda de Jesus é a nossa sublime e bem-aventurada esperança. O próprio Senhor afirmou que voltaria para levar os seus (Jo 14.3,18; Ap 22.20).

 

I. COMO SERÁ A VINDA DE CRISTO

 

Segundo as Escrituras, a vinda de Jesus terá duas fases: “Aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Senhor Jesus Cristo” (Tt 2.13).

1. A volta de Jesus para a igreja. Nesta ocasião Jesus levará sua igreja para o céu, num instante e em segredo quanto ao mundo. Nessa primeira fase, ele virá até as nuvens (1 Co 15.52; 1 Ts 4.16,17). Na segunda fase, Ele virá com todos os santos e anjos, descendo sobre o monte das Oliveiras publicamente, repleto de glória e de poder. Nesse momento, livrará a Israel que estará sucumbindo sob as forças do Anticristo, e julgará as nações e estabelecerá com poder e justiça o reino milenial (Zc 14.4; Mt 24.30; Ap 1.7; 19.11-21 a 20.1-6).

No arrebatamento da igreja, Jesus virá para os seus santos; na sua manifestação em glória, Ele virá com os seus (Cl 3.4).

2. A Grande Tribulação. Entre o arrebatamento da igreja e a manifestação pública de Jesus, ocorrerá a Grande Tribulação (Mt 24.21; Ap 6-18), a qual abrange os anos de domínio do Anticristo aqui na terra. O sofrimento aqui será de tal monta que se durasse mais tempo ninguém sobreviveria (Mt 24.21,22). Com base na Bíblia Sagrada, professamos, tal qual atesta o credo oficial das Assembléias de Deus no Brasil, nossa fé no arrebatamento da igreja antes da Grande Tribulação (Ap 3.10; Lc 21.36).

3. A vinda de Jesus, súbita e inesperada. Duas das figuras que Jesus empregou para exemplificar a rapidez e a imprevisão da sua vinda foi a do ladrão e a do relâmpago.

a) A figura do ladrão (Mt 24.42-44; Lc 12.35-40; Ap 3.3). Paulo e Pedro também empregaram esta figura ao doutrinarem sobre a vinda de Jesus (1 Ts 5.2-6; 2 Pe 3.10). O ladrão dos tempos bíblicos agia com muita rapidez; levava só o melhor e deixava o pior; ele não levava tudo o que encontrava no momento, nem avisava a hora que viria; ele agia quando ninguém imaginava, e atacava quando a escuridão era maior. Quando Jesus disse “Eis que venho como ladrão” (Ap 16.15), o sentido é “eis que venho como vem o ladrão”, como está detalhado acima. Ver também Lc 12.45,46.

b) A figura do relâmpago (Mt 24.27; Lc 17.24). No Antigo Testamento, o relâmpago estava relacionado aos juízos divinos (Ez 1.14; Hc 3.11; Zc 9.14; Ap 11.19; 16.18), mas, em o Novo Testamento, encontramo-lo como símbolo de advertência e acontecimento repentino (Lc 17.24). Tão inesperado como o relâmpago, será a vinda do Filho do Homem. Portanto, sua vinda será inesperada como um soberano que retorna para proceder à prestação de contas da administração dos seus servos (Mt 24.45-51) ou súbita, como o foi à chegada do dilúvio (Mt 24.36-39).

 

II. SINAIS DA VINDA DE CRISTO

 

Assim como houve sinais precursores da primeira vinda de Jesus, como o sinal da estrela (Mt 2.2; Nm 24.17), e, o sinal do arauto (Ml 3.1; Mc 1.2,3), haverá também sinais indicadores de sua segunda vinda. Vejamos alguns desses sinais.

1. O derramamento do Espírito na igreja em escala mundial (At 2.16,17; Jl 2.28). Com este sinal vem também a operação de milagres e prodígios, a dinamização e expansão do evangelho e o avanço da obra missionária. Através dos séculos, o Senhor nunca deixou de derramar o Espírito Santo sobre o seu povo, ora mais, ora menos. Mas a partir de 1901, o derramamento do Espírito Santo tem sido cada vez maior, fato que o nosso país é testemunha.

2. A Multiplicação da ciência e da tecnologia (Dn 12.4). Observe que é a multiplicação da ciência e não da sabedoria. Esta vem diminuindo sempre e em toda humanidade através dos anos. Sabedoria é discernimento, equilíbrio, maturidade, prudência, sensatez; é escolher sempre o bem e rejeitar o mal. A sabedoria está em falta nesta era da ciência e do conhecimento.

3. O ressurgimento da nação de Israel (Mt 24.32). Israel já sofreu várias dispersões nacionais. A pior de todas ocorreu após a queda de Jerusalém sob os romanos, já na era cristã, quando os judeus foram proibidos, sob pena de morte, de retornar a Israel. Em 1897, teve início o cumprimento desse sinal com o surgimento do movimento Sionista sob Theodore Herzl, quando então, os judeus começaram a regressar à sua terra. Em 1948, sob a égide das Nações Unidas, foi criado o Estado de Israel, e o movimento de retorno tem sido contínuo desde então (Is 27.12; 11.12; Ez 37.1-10; Am 9.14,15).

4. A proliferação na igreja da falsificação da verdade (2 Pe 2.1,2). Esse sinal da volta de Cristo envolve os falsos doutores na igreja, para assim tornar o engano mais sutil, atraente e convincente.

5. O surgimento disfarçado e embrionário do antigo Império Romano. Isso através do Tratado de Roma feito em 1957, originando o Mercado Comum Europeu, que na sua evolução é hoje a União Européia. É a plataforma do futuro governo mundial do Anticristo.

 

III. PROPÓSITOS DA VINDA DE JESUS

 

1. Levar a sua igreja para o céu. “E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez e vos levarei para mim mesmo, para que, onde eu estiver, estejais vós também” (Jo 14.3; 1 Ts 4.17; Jo 17.24).

2. Julgar e recompensar a todos — salvos e perdidos. “Porque o Filho do Homem virá na glória de seu Pai, com os seus anjos; e, então, dará a cada um segundo as suas obras” (Mt 16.27; Ec 12.14; 2 Co 5.10; Ap 20.12,13; 22.12).

3. Estabelecer o seu reino milenial na terra. “Bem-aventurado e santo aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre estes não tem poder a segunda morte, mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo e reinarão com ele mil anos” (Ap 20.6;1 Co 15.25-28).

4. Aprisionar e julgar a Satanás e seus agentes. “Ele prendeu o dragão, a antiga serpente, que é o diabo e Satanás, e amarrou-o por mil anos” (Ap 20.2,10; Mt 25.31; 2 Pe 2.4; Jd v.6).

 

CONCLUSÃO

 

Quando a última trombeta soar, Deus, através do Espírito Santo, ressuscitará os mortos em Cristo (Rm 8.11,23) e transformará os santos vivos, levando todos ao encontro do Senhor nas alturas (1 Co 15.51,52; 1 Ts 4.16,17). O Espírito Santo já vivifica os nossos corpos mortais agora, mas o fará em plenitude noutra dimensão no arrebatamento da Igreja (2 Co 3.18; 1 Jo 3.2,3).

 

VOCABULÁRIO

 

Arauto: Mensageiro; pregoeiro.
Imprevisão: Súbito; inesperado.
Sionismo: Movimento político e religioso judaico, que visava o restabelecimento de um Estado judaico.

 

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

 

LAWSON, S. J. As sete igrejas do Apocalipse. 5.ed., RJ: CPAD, 2004.

 

EXERCÍCIOS

 

1. Quais são as duas fases da vinda de Cristo?

R. A invisível para a Igreja e a visível para Israel.

 

2. O que ocorrerá entre o arrebatamento e a manifestação pública de Jesus?

R. A Grande Tribulação.

 

3. Quais as duas figuras usadas por Jesus que ilustram a sua vinda?

R. As figuras do ladrão e do relâmpago.

 

4. Cite três sinais da vinda de Jesus.

R. O derramamento do Espírito, a multiplicação da ciência e o ressurgimento da nação de Israel.

 

5. Cite três propósitos da vinda de Jesus.

R. Levar a igreja, julgar e recompensar a todos, estabelecer o reino milenal.

 

AUXÍLIOS SUPLEMENTARES

 

Subsídio Devocional

 

“A Brincadeira Acabou

É tempo de parar de brincar de Igreja! Muitas igrejas estão brincando de monopólio. O vencedor deste jogo é determinado por quanto dinheiro e propriedades a igreja pode adquirir. Orçamentos, prédios e ônibus são caminhos para marcar pontos. Outras igrejas estão brincando de deus da colina. Quem mais pisar no próximo para alcançar o topo, declara-se o vencedor. Ainda outros estão brincando de busca trivial. O vencedor é definido pela recordação de fatos obscuros sobre a Bíblia, que até agora não mudaram vidas. Eles cruzam todos os esses, pontuam todos os acentos, mas escrevem erradamente a palavra.

Há outros incontáveis jogos que hoje distraem as igrejas. Mas vencê-los não é o que determina o êxito do povo de Deus. Todos estes jogos ocorrem quando a igreja está desprovida do item principal — Reavivamento. Não é hora de brincar de Igreja” (LAWSON, S. J. As sete igrejas do Apocalipse. 5.ed., RJ: CPAD, 2004, p. 206.)