Lições Bíblicas CPAD

Jovens e Adultos

 

 

1º Trimestre de 2007

 

Título: A Igreja e a sua missão

Comentarista: Elienai Cabral

 

 

Lição 1: A Igreja de Cristo

Data: 07 de Janeiro de 2007

 

TEXTO ÁUREO

 

Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela(Mt 16.18).

 

VERDADE PRÁTICA

 

Nenhuma barreira material, moral ou espiritual será capaz de impedir a Igreja de cumprir a sua missão na Terra.

 

LEITURA DIÁRIA

 

Segunda — 1Pe 2.4-8

Jesus é a pedra fundamental da Igreja

 

 

Terça — Ef 1.19-23

A Igreja foi arquitetada no céu

 

 

Quarta — Ef 2.20-22

Jesus estabeleceu uma Igreja organizada

 

 

Quinta — Mt 18.15-20

Jesus estabeleceu disciplina para a sua Igreja

 

 

Sexta — 1Tm 3.14-16

A Igreja é a coluna e firmeza da verdade

 

 

Sábado — 1Co 12.12,13,27

A Igreja é o corpo de Cristo

 

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

 

Mateus 16.16-18; Atos 4.11,12.

 

Mateus 16

16 — E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.

17 — E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque to não revelou a carne e o sangue, mas meu Pai, que está nos céus.

18 — Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.

 

Atos 4

11 — Ele é a pedra que foi rejeitada por vós, os edificadores, a qual foi posta por cabeça de esquina.

12 — E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens pelo qual devamos ser salvos.

 

INTERAÇÃO

 

Em agosto de 1911 foi realizada a primeira aula de Escola Dominical. As primeiras revistas, chamadas de Estudos Dominicais e comentadas por Samuel Nyströn, foram publicadas no jornal Boa Semente, na década de 20. Em 1930, foi lançada a revista Lições Bíblicas. No ano de 2007, a CPAD, sempre na vanguarda, publica o Novo Currículo da Escola Dominical.

O design moderno, a interatividade entre as seções da lição e o professor, os novos blocos didáticos e devocionais, fazem da LBM a melhor revista de estudos dominicais para professores de jovens e adultos. A nova LBM é o presente da CPAD para todos os mestres que têm ministrado incansavelmente a Palavra de Deus ao Corpo de Cristo. Feliz 2007, professor!

 

OBJETIVOS

 

Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:

  • Definir o termo bíblico “igreja”.
  • Estabelecer a diferença entre igreja local e universal.
  • Descrever a organização funcional da igreja.

 

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

 

Professor, a igreja é um organismo espiritual vívido! As Sagradas Escrituras empregam diversos símbolos com o intuito de descrever a natureza, caráter e missão da Igreja. Como já é de seu conhecimento, um símbolo é uma figura literária que apresenta uma verdade moral ou religiosa por meio da correspondência entre a figura e o conceito por ela representada. Nesta lição, de acordo com o Novo Testamento, elabore uma tabela com as principais analogias bíblicas concernentes à Igreja. Veja o exemplo abaixo.

 

 

COMENTÁRIO

 

introdução

 

Palavra Chave

Missão: Refere-se à função, autoridade e poder concedidos por Cristo à Igreja para cumprimento da obra de Jesus no mundo.

 

As lições deste trimestre têm por objetivo estudar a doutrina da Igreja sob o aspecto prático, ou seja, a Igreja no cumprimento da sua missão na Terra. Apesar de abordarmos alguns aspectos teológicos fundamentais, nosso enfoque estará no desenvolvimento da missão da Igreja no mundo.

Como podemos depreender do texto bíblico base da lição, a Igreja não é apenas uma organização, mas um organismo vivo e divino que tem como encargo precípuo a salvação dos pecadores e a congregação dos salvos a caminho da glória.

A Igreja não é obra humana (Mt 16.18), mas criação especial de Deus mediante Cristo, seu Filho Amado.

Jesus, como cabeça da Igreja (Ef 1.22,23), amou-a e se entregou por ela (Gl 2.20).

 

I. O QUE É A IGREJA

 

1. Definição. A palavra “igreja”, no grego, ekklēsia, significa “chamados para fora”. Originalmente, os cidadãos de uma cidade eram chamados mediante o toque de uma trombeta, que os convocava para se reunirem como assembléia em determinado local, a fim de tratarem de assuntos comunitários. Da mesma forma, a Igreja é um grupo de pessoas chamadas para fora do mundo, para formar um povo seleto, especial, pertencer a Deus e servi-lo (1Pe 2.9,10; 1Ts 1.9).

2. A visão cristológica da igreja. Certa ocasião, Jesus interrogou os seus discípulos acerca do que as pessoas pensavam a respeito dEle. Após ouvir suas várias respostas, o Mestre lhes fez uma derradeira pergunta: “E vós, quem dizeis que eu sou?” (Mt 16.15). Pedro, inspirado pelo Espírito Santo, respondeu-lhe imediatamente: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo” (v.16). A partir desta resposta, Jesus fez uma enfática declaração revelando aos seus discípulos a edificação, a jornada e o futuro da sua Igreja na Terra. O Senhor afirmou a Pedro: “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela” (Mt 16.18).

Quando o Mestre enunciou: “edificarei a minha igreja”, identificou-se como seu Arquiteto, cuja edificação estender-se-ia até “à consumação dos séculos” (Mt 28.20). O fundamento sobre o qual Ele edifica a Igreja está indicado nas palavras do texto: “sobre esta pedra”. A pedra não se refere a Pedro e, sim, à verdade que este acabara de afirmar: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo” (v.16). Jesus não disse: “sobre ti edificarei a minha igreja”, mas declarou que sobre a confissão revelada pelo Espírito Santo a Pedro, a igreja seria edificada.

O próprio Pedro afirma que Jesus é a Pedra sobre a qual a Igreja é edificada — “pedra angular, eleita e preciosa” (1Pe 2.5; At 4.11). A referência a Cristo como a “pedra angular” (1Pe 2.5 — ARA), figura um edifício construído com pedras espirituais, isto é, vidas regeneradas ao longo da existência da Igreja na Terra (1Co 3.9; Ef 2.22).

 

 

SINOPSE DO TÓPICO (I)

 

A Igreja, o conjunto de todos os salvos em Cristo, foi edificada por Jesus para anunciar a salvação em Cristo e triunfar sobre o pecado, a injustiça e o mal.

 

 

II. AS DIMENSÕES DA IGREJA NA TERRA

 

1. Universal. A Igreja universal é o conjunto de todos os salvos em Cristo. É citada no Novo Testamento no singular — “igreja” — nos textos de At 20.28; 1Co 12.28; Ef 1.22; 5.27; 1Tm 3.15; Hb 12.23. No plano eterno de Deus, a Igreja universal foi arquitetada por Ele antes da fundação do mundo (Ef 1.4,9,10), e, tem um caráter geral porque inclui todos os cristãos remidos por Cristo, dentre todos os povos.

2. Local. A palavra igreja, em sentido literal, abrange o conceito de “congregar” e “reunir”, pois se trata da reunião dos fiéis em um local específico. A Bíblia emprega o plural “igrejas”, a fim de referir-se às igrejas locais (At 9.31; 16.5; Rm 16.4; 16.19; 2Co 8.1; Gl 1.2). No entanto, quando o termo está no singular, cita-se a região na qual a igreja local encontra-se (At 14.23; Rm 16.1; 1Co 1.2; 4.17; 1Ts 1.1).

A perspectiva local da igreja fortalece o fato de que o trato e relacionamento de Deus com ela não é só universal, mas local, congregacional e direto.

 

 

SINOPSE DO TÓPICO (II)

 

A Igreja universal, o Corpo místico de Cristo, é invisível e constituída por todos os saí-vos em Cristo. A igreja local é visível e composta por todos os crentes regionais que se reúnem visivelmente.

 

 

III. A ORGANIZAÇÃO FUNCIONAL DA IGREJA

 

1. A organização administrativa da igreja. A Igreja é tanto um organismo espiritual quanto uma organização que necessita do trabalho de pessoas nos vários órgãos funcionais da igreja local. Organização funcional da igreja refere-se à administração dos recursos materiais e humanos de que ela dispõe, para que não haja interrupções no seu crescimento quantitativo e qualitativo.

2. A organização ministerial da igreja. Esta forma de organização diz respeito ao governo da igreja local através de homens vocacionados e capacitados por Deus para o exercício do santo ministério eclesiástico.

Ao longo da trajetória da igreja, temos várias formas de governo eclesiástico: local, distrital, regional e nacional. Por meio do Novo Testamento, verificamos que a autoridade administrativa e espiritual da igreja local é competência do pastor. Todos os demais cargos e funções submetem-se à autoridade pastoral.

Na igreja também há cargos de caráter espiritual, conforme expõe a Escritura em Ef 4.11: apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e mestres.

3. A organização espiritual da igreja. Essa organização refere-se, essencialmente, à sua liturgia. Trata-se da ministração do culto, da adoração coletiva, das ordenanças deixadas por Jesus, como a Ceia do Senhor e o batismo em águas (Mt 28.19,20; Lc 22.16-20). Mesmo que não haja uma forma prescrita e específica de liturgia dos cultos, devemos primar em manter os princípios ensinados por Jesus, no sentido de promover a comunhão com Deus e com os irmãos. Na realização do culto, deve-se evitar tanto o formalismo que engessa a liberdade da adoração a Deus em “espírito e em verdade” (Jo 4.23,24), quanto à espontaneidade individual sem limites, que vulgariza e profana o “culto racional” que devemos prestar continuamente a Deus (Rm 12.1; Sl 95.1-6).

 

 

SINOPSE DO TÓPICO (III)

 

A igreja é tanto um organismo espiritual vívido como uma organização administrativa. A organização funcional da igreja é formada pelos líderes locais e por meio dos recursos espirituais, materiais e humanos.

 

 

CONCLUSÃO

 

Nesta lição, estudamos as características fundamentais da doutrina da Igreja, a fim de compreendermos suas dimensões terrena e celeste. Você faz parte da Igreja no seu âmbito universal? Está integrado e exerce o ministério que Jesus lhe confiou na igreja local? Trabalhemos enquanto é dia!

 

VOCABULÁRIO

 

Engessar: Endurecer; enrijecer; formalizar.
Liturgia: Conjunto dos elementos que compõem o culto cristão.
Precípuo: Principal; essencial; necessário.

 

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

 

ANDRADE, C. Verdades centrais da fé cristã. RJ: CPAD, 2006.
BREEN, M.; KALLESTAD, W. Uma igreja apaixonante. RJ: CPAD, 2005.

 

EXERCÍCIOS

 

1. Qual o significado original da palavra "igreja"?

R. A palavra “igreja”, no grego, ekklēsia, significa “chamados para fora”.

 

2. Quem é o Arquiteto da igreja?

R. Jesus Cristo.

 

3. O que se entende por “Igreja Universal”?

R. O conjunto de todos os salvos em Cristo.

 

4. O que é “igreja local”?

R. A reunião dos fiéis em um local específico.

 

5. O que significa “organização funcional da igreja”?

R. Administração dos recursos materiais e humanos de que a igreja local dispõe para que não haja interrupções no crescimento quantitativo e qualitativo.

 

AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO

 

Subsídio Teológico

 

“Tipos da Igreja

A Igreja de Cristo é apresentada de diferentes formas pelos escritores sagrados, mostrando-lhe a natureza, a missão e os recursos com os quais foi dotada pelo Senhor.

1. Virgem imaculada. Tendo em vista a sua pureza e candura, provenientes do sangue vertido por Cristo, o apóstolo Paulo denomina-a uma virgem imaculada (2Co 11.2).

2. Esposa do Cordeiro. A igreja é assim conhecida, em virtude da aliança que o Senhor Jesus com ela estabeleceu por intermédio do sangue do Novo Testamento (Ap 21.9).

3. Corpo de Cristo. Sendo o Filho de Deus a sua cabeça, a igreja é conhecida como o Corpo de Cristo, pois dEle recebe toda orientação e governo (1Co 12.27).

4. Edifício. Edificada por Deus através de Jesus, tem ela como fundamento a doutrina dos apóstolos e dos profetas (1Co 3.9).

5. Nação santa. Separada do mundo e consagrada para o serviço de Deus, a Igreja é assim vista pelo apóstolo Pedro (1Pe 2.9).

6. Castiçal. Luz do mundo, tem a Igreja como missão acabar com as trevas espirituais e morais deste mundo (Ap 1.20).

7. Israel de Deus. Já que Abraão é o nosso Pai na Fé, somos hoje o Israel de Deus. Afinal, a parede que nos separava da comunidade espiritual dos hebreus foi derribada (Gl 6.16).

8. Universal assembléia. Refere-se o apóstolo à Igreja de Cristo como universal e invisível (Hb 12.22).

9. Família de Deus. Sendo os crentes filhos de Deus por adoção, reunimo-nos, todos os que aceitaram a Cristo, como a família de Deus (Ef 2.17-22)”.

(ANDRADE, C. Verdades centrais da fé cristã. RJ: CPAD, 2006, p.209-10.)

 

APLICAÇÃO PESSOAL

 

A Igreja não é constituída por cimentos, tijolos e ferros, mas por aqueles que experimentaram o novo nascimento e amam a Jesus de todo o coração.

O valor da Igreja não é resultado de sua arquitetura, de suas obras sociais ou da quantidade de filiais que possui, mas do precioso sangue de Cristo. Embora classificada em universal e local, a Igreja de Cristo é apenas uma. É um só corpo constituído por membros de todas as nações, raças e línguas. A verdadeira Igreja de Cristo é indivisível - pois não há duas Igrejas de Cristo -; militante, porque é composta por todos os salvos vivos; triunfante, visto ser caracterizada por aqueles que já se encontram na glória com o Senhor.

Essas verdades são bálsamos para a vida de cada cristão, pois veremos na glória àqueles que, triunfantes, partiram para estar para sempre com o Senhor. Enquanto não alcançamos essa gloriosa promessa, nós, os crentes militantes em Cristo, seguimos a nossa marcha triunfal até o maravilhoso encontro com o Senhor da Igreja. Exaltemos, pois, a Jesus que nos resgatou e constituiu-nos seu corpo místico!