Lições Bíblicas CPAD

Jovens e Adultos

 

 

2º Trimestre de 2007

 

Título: Tempos Trabalhosos - Como enfrentar os desafios deste século

Comentarista: Elinaldo Renovato de Lima

 

 

Lição 3: Desafios da educação materialista

Data: 22 de Abril de 2007

 

TEXTO ÁUREO

 

Lâmpada para os meus pés é tua palavra e luz, para o meu caminho(Sl 119.105).

 

VERDADE PRÁTICA

 

A educação materialista praticada nas escolas seculares somente poderá ser desmascarada pelo Evangelho de Cristo Jesus - o único meio de se educar, verdadeiramente, o ser humano.

 

LEITURA DIÁRIA

 

Segunda - Mc 10.14

As crianças perto de Jesus

 

 

Terça - Ec 12.1

O jovem lembrando-se de Deus

 

 

Quarta - Sl 119.105

A Palavra ilumina o caminho

 

 

Quinta - Sl 119.63

De quem somos companheiros

 

 

Sexta - Mt 16.18

As portas do inferno não prevalecerão

 

 

Sábado - Rm 8.37

Mais que vencedores

 

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

 

Provérbios 22.6; Efésios 6.4; Salmos 119.9-12.

 

Provérbios 22

6 - Instrui o menino no caminho em que deve andar, e, até quando envelhecer, não se desviará dele.

 

Efésios 6

4 - E vós, pais, não provoqueis a ira a vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Senhor.

 

Salmos 119

9 - Como purificará o jovem o seu caminho? Observando-o conforme a tua palavra.

10 - De todo o meu coração te busquei; não me deixes desviar dos teus mandamentos.

11 - Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti.

12 - Bendito és tu, ó SENHOR! Ensina-me os teus estatutos.

 

INTERAÇÃO

 

Professor, os cristãos atuais não são apenas desafiados pela educação materialista, mas também pelo pluralismo religioso ensinado nas instituições de ensino. Oremos para que a luz da verdade divina resplandeça sobre nossos professores e legisladores, uma vez que a educação é efetivada também através do estabelecimento de leis específicas.

 

OBJETIVOS

 

Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:

  • Descrever os elementos que caracterizam o ensino oficial em nosso país.
  • Explicar o que a Bíblia ensina a respeito da educação das crianças.
  • Interceder a favor de nossos legisladores.

 

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

 

Professor, em sua classe há alunos portadores de necessidades educativas especiais? Esse grupo social é formado por pessoas que apresentam algum tipo de insuficiência visual, mental, auditiva, etc., ou problemas de aprendizagem durante o processo educativo. Há quatro formas de integrar um aluno com necessidades especiais de aprendizagem. Destas, a integração funcional e comunitária são consideradas mais eficazes do que as outras, pois o educando participa das classes de ensino comum e incorpora-se à dinâmica da escola e da comunidade. A igreja, por ser um ambiente comunitário é um excelente espaço para o professor integrar o educando especial à vida da comunidade cristã. Portanto, envolva os professores e alunos da Escola Dominical; pesquise sobre o assunto e desenvolva com os discentes projetos que estimulem a participação e integração do aluno com necessidades especiais de aprendizagem.

 

COMENTÁRIO

 

introdução

 

Palavra Chave

Materialismo: Designa um conjunto de doutrinas filosóficas que, ao rejeitar a existência de um princípio espiritual, relaciona toda a existência à matéria e a suas modificações.

 

Um dos maiores desafios da Igreja, nestes dias trabalhosos e difíceis, é a educação materialista, secularizada e relativista que vai, desde o ensino fundamental até à universidade. As crianças, adolescentes e os jovens são alvos dessa educação permeada de falsas filosofias e enunciados contrários às Sagradas Escrituras.

 

I. O ENSINO OFICIAL EM NOSSO PAÍS TENDE AO MATERIALISMO

 

1. A educação sexual. A maioria dos pais desconhece o que os seus filhos aprendem sobre sexualidade nas escolas. Trata-se, via de regra, de um ensino antibíblico e pecaminoso. A educação sexual, com base na pureza das Sagradas Escrituras, é dever da família e dos educadores realmente cristãos que, na Bíblia, têm a única regra de fé e prática.

2. A Nova Era nas escolas. A Nova Era é a religião do Anticristo. Esse movimento vem entrando sorrateiramente nas escolas, onde as crianças são levadas a praticar ritos pagãos e técnicas de relaxamento, que muitos males psicológicos, emocionais e espirituais causam aos nossos filhos, levando-os a perder a capacidade de discernir entre o certo e o errado.

 

SINOPSE DO TÓPICO (I)

 

Nas escolas, a educação sexual e as técnicas místicas de relaxamento, procedentes das seitas e religiões orientais, afrontam os pais cristãos e confundem as crianças evangélicas.

 

II. AS CRIANÇAS SÃO ALVOS PREFERENCIAIS DA EDUCAÇÃO MATERIALISTA

 

1. O ateísmo incutido na mente infantil. Quando o comunismo estava no auge, principalmente no leste europeu, sua doutrina era ensinada sistematicamente a partir das crianças. Em nosso país, o ensino materialista vem predominando, especialmente nas áreas de Ciências e História, incutindo na mente das crianças a descrença em Deus por meio da falsa teoria do evolucionismo.

2. Crianças ameaçadas pelo materialismo. As crianças são alvos fáceis do materialismo ateu. Existe um plano diabólico orquestrado contra elas. Há países em que as crianças não podem sequer agradecer a Deus pelo lanche na hora do recreio.

Os pais cristãos precisam estar mais atentos e orar constantemente por seus filhos. Com sabedoria, verifique quem são os seus professores, qual a linha pedagógica da escola e o que estão aprendendo, pois é grande a influência do materialismo por toda parte. É por isso que a Bíblia adverte-nos a ensinar as crianças no caminho em que devem andar (Pv 22.6; Jz 13.8,12).

3. O que a Bíblia ensina sobre a educação das crianças?

a) No Antigo Testamento as crianças eram valorizadas. Elas participavam do louvor a Deus ao lado dos adultos. No Salmo 148, os velhos, os rapazes, as donzelas e as crianças são exortados a louvar a Deus. As mulheres e os meninos alegravam-se durante os eventos sagrados (Ne 12.43).

b) No Novo Testamento as crianças foram apresentadas como exemplo. Jesus foi extremamente cuidadoso com as crianças. Certa vez, o Mestre indignou-se e repreendeu seus discípulos por afastarem-nas de sua presença. Asseverou-lhes: “Deixai vir os pequeninos a mim e não os impeçais, porque dos tais é o Reino de Deus” (Mc 10.14). Os pais cristãos devem, com graça e conhecimento bíblico, fazer tudo o que estiver ao seu alcance, a fim de que seus filhos sigam a Jesus.

c) As crianças devem ser ensinadas a caminhar com Cristo. Muitos cristãos não cumprem a ordenança do Senhor em relação às crianças. É preciso cuidar delas (Jo 21.15), e remover qualquer obstáculo que as impeça de caminhar com Cristo (Lc 18.16). Ver também Pv 22.6; Ef 6.4.

 

SINOPSE DO TÓPICO (II)

 

O ateísmo e o materialismo são dois grandes desafios à família cristã. Somente o ensino sistemático das Escrituras é capaz de fortalecer as crianças contra os ataques seculares.

 

III. ADOLESCENTES E JOVENS AMEAÇADOS

 

1. A adolescência. É a idade que vai do final da infância à juventude. A maior parte dos crentes que se desviam do evangelho de Cristo está nessa faixa etária, pois são atraídos irresistivelmente pelo mundo. De acordo com as amizades que eles cultivam, podem ter sua personalidade bem formada, ou deformada. Ler 1 Co 15.33; Rm 16.17; 2 Co 6.14-17. Muitos deles têm como ícones pessoas destituídas do Reino de Deus.

2. A juventude. Em certas escolas e faculdades, o ensino materialista visa incutir na mente dos jovens idéias ateístas e anticristãs. Entretanto, o jovem cristão, mais do que os outros, tem a seu dispor recursos valiosos para suas decisões. Ele tem a Palavra de Deus e a comunhão da Igreja de Cristo para que o orientem em todos os seus caminhos (Sl 119.9,105).

3. Os “pontos de apoio”. A família, a igreja e os amigos crentes servem como sustentação para os adolescentes e jovens. Esses "pontos de apoio" são muito importantes e podem marcar toda a sua trajetória na busca de um futuro promissor. Quando os adolescentes cristãos encontram, na igreja, pessoas de sua idade que temem a Deus, tudo começa a caminhar no rumo certo (Sl 119.63). É a promessa divina.

4. Perigos na formação espiritual. A formação espiritual começa no lar. Se o adolescente e o jovem tiverem uma firme base espiritual na família, poderão encarar, sem medo, a onda de materialismo que varre as escolas seculares. A igreja local pode muito ajudar nesse particular. É nas escolas seculares que se ensina a “teoria da evolução”, negando o criacionismo bíblico. Ao mesmo tempo, fazem apologias ao homossexualismo e a outros comportamentos condenados pela Bíblia Sagrada. Daí a importância do ensino religioso no lar. A Bíblia diz: “Lâmpada para os meus pés é a tua palavra; e luz para o meu caminho” (Sl 119.105).

5. Amizades perigosas, jovens e adolescentes cristãos correm o risco de ser envolvidos por amizades ímpias. Muitos caem em armadilhas, envolvendo-se com drogas, sexo ilícito e violência. É preciso saber escolher os amigos. Diz o salmista: “Companheiro sou de todos os que te temem e dos que guardam os teus preceitos” (Sl 119.63). Por incrível que pareça, até nas igrejas, há amizades perigosas. Há pessoas que não se converteram verdadeiramente, influenciando os simples ao pecado. Pais e pastores, estejamos alertas.

6. Perigos dentro de casa, na internet, nos filmes e novelas condenáveis. Há muitos adolescentes, jovens (e até adultos) que se tornam viciados e escravos da internet. Não oram, não lêem a Bíblia, não frequentam a Escola Dominical, pois deixaram-se escravizar por cenas e imagens geradas no próprio inferno. Cuidado com as visitas aos chats, blogs e flogs. Use a internet com discernimento e temor a Deus.

 

SINOPSE DO TÓPICO (III)

 

Os adolescentes e jovens necessitam das Escrituras e de “pontos de apoio”, para que vençam os ataques ateístas.

 

IV. UMA PERSPECTIVA DE VITÓRIA

 

1. As portas do inferno não prevalecerão. Respondendo aos discípulos sobre a sua identidade messiânica, Jesus afirmou: Eu “edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela” (Mt 16.18). Ao longo dos séculos, “as portas do inferno” têm combatido fortemente os arraiais dos cristãos, mas não têm prevalecido, nem haverão de prevalecer. Aleluia!

2. Temos uma poderosa armadura para vencer. Com a armadura espiritual, a criança, o adolescente, o jovem e o adulto podem vencer os desafios do materialismo nas escolas e onde quer que ele se apresente (Ef 6.10-17). Com o poder de Deus, “somos mais do que vencedores” (Rm 8.37-39).

 

SINOPSE DO TÓPICO (IV)

 

Apesar dos ataques anticristãos à Igreja, as portas do inferno não prevalecerão contra nós, pois temos uma poderosa armadura para vencer os ataques do Maligno.

 

CONCLUSÃO

 

Esperamos que essas reflexões despertem os servos de Deus contra os terríveis perigos que rondam e assaltam especialmente as crianças, adolescentes e jovens, através dos ensinos materialistas e ateus ministrados nas escolas seculares.

 

VOCABULÁRIO

 

Criacionismo: Doutrina ou teoria cristã que admite que o Universo foi criado por Deus, conforme ensina a Bíblia.
Impingir: Obrigar a aceitar; obrigar a ouvir; submeter a.
Materialismo: Doutrina filosófica e científica que rejeita a realidade espiritual e acredita que a única realidade é a matéria.

 

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

 

COLSON, C.; PEARCEY, N. O cristão na cultura de hoje. RJ: CPAD, 2006.
PEARCEY, N. Verdade absoluta. RJ: CPAD, 2006.

 

EXERCÍCIOS

 

1. De quem é o dever de orientar as crianças, adolescentes e jovens a respeito da sexualidade?

R. Da família e dos educadores cristãos.

 

2. O que a Bíblia ensina sobre as crianças?

R. Que as crianças eram valorizadas no AT; que Jesus as usou como exemplo e que elas devem ser ensinadas a caminhar com Cristo.

 

3. O que pretendem incutir os ensinos materialistas de algumas disciplinas?

R. Idéias ateístas, materialistas e anticristãs.

 

4. Quais são os pontos de apoio dos adolescentes e jovens cristãos?

R. A família, a igreja e os amigos crentes.

 

5. Como as crianças, adolescentes e jovens podem vencer os desafios do materialismo nas escolas?

R. Revestidos da armadura espiritual.

 

AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO

 

Subsídio Apologético

 

“A Ciência como Apologética

Nós ouvimos, por todos os lados, que a ciência desaprovou o cristianismo, mas hoje em dia a evidência histórica nos dá uma resposta clara: ao contrário, foi o cristianismo que possibilitou a ciência. Ao invés de nos sentirmos intimidados por ataques feitos em nome da ciência, podemos mostrar que a própria existência do método científico, e tudo o que alcançou, é um grande argumento de defesa da verdade do cristianismo.

Historicamente, muitos cristãos fizeram exatamente isso. Isaac Newton, com freqüência considerado o maior dos primeiros cientistas, era um cristão devoto, cuja procura pela ciência era fortemente motivada pelo seu desejo de defender a fé. Ele acreditava de modo convicto que o estudo científico do mundo precisaria levar diretamente ao Deus que criou o mundo. A ciência nos mostra ‘qual é a primeira causa, qual poder Ele tem sobre nós e quais benefícios nós recebemos dEle’, escreveu Newton, para que ‘o nosso dever em relação a Ele, assim como em relação aos outros, apareça em nós pela luz da natureza’. E por que a ciência nos mostra tudo isso? Porque o assunto da ciência é ‘deduzir as causas a partir dos efeitos, até que cheguemos à primeira causa, que certamente não é mecânica’. Em outras palavras, o mundo pode operar por causas mecânicas, mas quando procuramos as suas origens, deduzimos que a primeira causa deve ser um Ser inteligente e racional”.

(COLSON, C.; PEARCEY, N. O cristão na cultura de hoje. RJ: CPAD, 2006, p.237-8.)

 

APLICAÇÃO PESSOAL

 

O cristão é desafiado constantemente a responder a razão de sua fé concernente aos dilemas suscitados pela ciência (1 Pe 3.15; Jd v.3). A ciência moderna costuma distinguir e conceder pesos diferentes entre as afirmações que ela própria faz e as que o cristianismo defende. Para os cientistas, o criacionismo é um assunto que diz respeito à fé e à consciência individual e um problema da religião. E para você? A Bíblia só é digna de crédito se a ciência, a história ou a arqueologia comprovarem as doutrinas bíblicas? Lamentavelmente muitos crentes buscam comprovações científicas para os relatos bíblicos; são servos dos cientistas, não de Cristo; escravos da ciência, não das Escrituras.