Lições Bíblicas CPAD

Jovens e Adultos

 

 

2º Trimestre de 2007

 

Título: Tempos Trabalhosos - Como enfrentar os desafios deste século

Comentarista: Elinaldo Renovato de Lima

 

 

Lição 6: A saúde física e mental

Data: 13 de Maio de 2007

 

TEXTO ÁUREO

 

Amado, desejo que te vá bem em todas as coisas e que tenhas saúde, assim como bem vai a tua alma(3 Jo v.2).

 

VERDADE PRÁTICA

 

O presente século está marcado pelo medo, expectação e ansiedade. Só a paz de Deus pode tranqüilizar o coração humano.

 

LEITURA DIÁRIA

 

Segunda - Sl 90.10

A vida aqui é curta

 

 

Terça - Dt 28.1-6

Obedecer traz saúde

 

 

Quarta - Dt 28.27,28,35,61

Desobedecer traz doença e maldição

 

 

Quinta - Fp 4.6,7

Oração e súplica trazem paz

 

 

Sexta - 1 Pe 5.7

Lançando nossas ansiedades sobre o Senhor

 

 

Sábado - Rm 8.23

O corpo ainda não está redimido

 

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

 

Gênesis 2.16,17; 6.3; Sl 10.10.

 

Gênesis 2

16 - E ordenou o Senhor Deus ao homem, dizendo: De toda árvore do jardim comerás livremente,

17 - mas da árvore da ciência do bem e do mal, dela não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás.

 

Gênesis 6

3 - Então, disse o Senhor: Não contenderá o meu Espírito para sempre com o homem, porque ele também é carne; porém os seus dias serão cento e vinte anos.

 

Salmo 90

10 - A duração da nossa vida é de setenta anos, e se alguns, pela sua robustez, chegam a oitenta anos, o melhor deles é canseira e enfado, pois passa rapidamente, e nós voamos.

 

INTERAÇÃO

 

Professor, o mundo pós-moderno é testemunha ocular do avanço da ciência e da medicina. A indústria farmacêutica tem desenvolvido remédios capazes de combater várias enfermidades. Todavia, a falta de saúde tem sido um fato da vida desde a queda do homem no Éden. Logo, se não houvesse pecado, não haveria enfermidade.

Atualmente, o mundo deslumbra-se com as maravilhas da medicina moderna, sonha em abolir de vez os problemas de saúde.

Em classe, conduza seus alunos a refletir na seguinte questão: Por que estamos tão absorvidos e preocupados com a saúde física e mental? Como manter-se saudável no mundo atual, onde o estresse tornou-se um inimigo público?

 

OBJETIVOS

 

Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:

  • Explicar a origem das doenças.
  • Refutar a idéia de que o crente não adoece.
  • Descrever o plano divino para uma vida saudável.

 

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

 

Confeccione em cartolina o quadro “Regras para uma vida saudável” abaixo. Leve o mesmo para a classe e fixe-o em um lugar que seja visível a todos. Utilizando o cartaz, reflita com seus alunos sobre os conselhos citados. Pergunte-lhes: “Estes conselhos podem ser aprendidos e seguidos por qualquer cristão?”. Depois, leia-os com a classe e reflita sobre os mesmos. Solicite aos alunos que encontrem referências bíblicas para fundamentar as afirmações.

 

 

COMENTÁRIO

 

introdução

 

Palavra Chave

Saúde: “Estado de completo bem estar físico, mental e social, e não meramente a ausência de doenças” (OMS).

 

O mundo pós-moderno é contraditório em relação à saúde física, mental e emocional. Apesar da grande quantidade de métodos terapêuticos, remédios, hospitais e clínicas especializadas, nunca houve tantas pessoas enfermas no corpo e na alma, como nos últimos tempos. Nós, que conhecemos a Palavra de Deus, sabemos que esse quadro é conseqüência do pecado, transmitido a todos os homens (Rm 5.12).

 

I. A ORIGEM DAS DOENÇAS

 

1. O pecado no Éden. As doenças originaram-se da queda do homem no Éden. Antes do pecado, não havia enfermidades, desgastes, envelhecimento e morte, mas a desobediência de nossos primeiros pais trouxe medo, moléstias, deterioração e morte (Gn 3.10,17-19).

A primeira enfermidade foi de ordem emocional. A Bíblia sustenta que Adão e Eva, ao pecarem, sentiram medo (Gn 3.8-10). Depois, certamente sobrevieram-lhes as demais sequelas emocionais, psicológicas e físicas. É do pecado, como estado e como ato que procedem todas as doenças.

2. A corrupção do gênero humano. À medida que o pecado crescia no mundo, diminuía a duração da vida humana na terra. No início da criação, o homem vivia centenas de anos (Gn 5.1-27), mas com a multiplicação da iniquidade, Deus limitou-lhe a vida a 120 anos (Gn 6.3,5-7;11,12). Mais tarde, na dispensação da Lei, a média da vida humana decresceu para 70 anos (Sl 90.10).

3. A desobediência ao Senhor. Deus prometeu ao povo de Israel abençoá-lo grandemente, caso obedecessem à sua voz (Dt 28.1-13). Em contrapartida, se desobedecessem, levariam sobre si as maldições proferidas no Monte Ebal (Dt 27.11-26), entre as quais todos os tipos de enfermidades.

 

SINOPSE DO TÓPICO (I)

 

O pecado trouxe à humanidade a triste conseqüência do sofrimento, da doença e da morte física e espiritual (Rm 6.23).

 

II. A PROLIFERAÇÃO DAS DOENÇAS FÍSICAS

 

Vivemos em um mundo bastante enfermo. Há doenças que são originárias exclusivamente da obstinada desobediência: “Porque o que semeia na sua carne da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no Espírito do Espírito ceifará a vida eterna” (Cl 6.8). Apesar do notável avanço da ciência, há determinados tipos de doenças que continuam ceifando milhares de vidas. Vejamos:

1. Infarto. O infarto do miocárdio mata cerca de 350.000 pessoas por ano no Brasil. Dentre as causas que provocam este mal destacam-se o estresse e os maus hábitos alimentares.

2. Câncer. Continua sendo uma das enfermidades mais temidas e devastadoras do mundo. Atinge a qualquer pessoa indistintamente, inclusive os crentes. É preciso orar e ensinar, com base na Palavra de Deus, sobre a cura divina, mudança de hábitos e estilo de vida.

3. Acidente Vascular Cerebral (AVC). É a terceira causa de mortes no mundo, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). Infelizmente, muitos servos de Deus têm sido vítimas desse terrível mal.

 

SINOPSE DO TÓPICO (II)

 

As doenças, em seu aspecto geral, são provenientes da desobediência do homem às leis de Deus e da fragilidade do corpo humano.

 

III. DOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS

 

1. Tudo começa na mente. Se a mente não estiver sã, o corpo também não estará. De acordo com a Medicina e a Psicologia, muitas doenças são causadas por problemas emocionais, tais como medo, inveja, ira, mágoa, ódio. A Bíblia adverte que não devemos estar inquietos por coisa alguma e que precisamos ter paz interior (Fp 4.6-8). Por isso, amar e perdoar são sentimentos preventivos contra as doenças mentais e emocionais (Jo 13.34,35; Cl 3.13; Sl 18.1a; Rm 12.10).

2. Doenças causadas por tensão emocional. Há inúmeras doenças que têm origem nesse terrível inimigo da saúde. Por isso, a Bíblia ensina: “O coração alegre serve de bom remédio, mas o espírito abatido virá a secar os ossos” (Pv 17.22). Ler Pv 14.30; 15.13; Ne 8.10.

3. Fatores que contribuem para doenças psicossomáticas:

a) Competitividade excessiva. O mundo moderno é extremamente competitivo, razão pela qual grande parte das pessoas é ansiosa. A Bíblia nos recomenda “descansar no Senhor” (Sl 37.5,7; Mt 6.30-34).

b) Luta pelo sucesso profissional. A falta de preparo profissional, o desemprego e a obtenção de um bom desempenho profissional, levam muitos a ficarem frustrados. O crente em Jesus não se desespera, mas confia no Senhor (Sl 55.22; 1 Pe 5.7).

c) Insucesso na vida afetiva. Há muitos que sofrem porque não conseguem se casar e constituir uma família. Isso também ocorre no meio evangélico. O remédio? Confiar em Deus. Ele é a solução para todos os nossos problemas.

d) Estresse. O estresse ocasional não causa neuroses ou outro tipo de doença da mente. Entretanto, o estresse constante tende a desenvolver enfermidades mais graves. Por isso, a Bíblia ensina que não devemos andar ansiosos (Mt 6.25), e que nossas ansiedades devem ser lançadas sobre o Senhor (1 Pe 5.5-7). Nesse sentido, a igreja deve ser instruída à luz da Palavra e da ciência social, pois, conforme nos ensina a Bíblia, devemos entregar o nosso caminho ao Senhor; confiar nele, e Ele tudo fará (Sl 37.5; Mt 6.33).

 

SINOPSE DO TÓPICO (III)

 

O corpo e a alma estão intimamente ligados; o que afeta um, lesa também o outro. Muitas doenças são provocadas por problemas emocionais decorrentes da ansiedade e da falta de equilíbrio emocional.

 

IV. OS SALVOS PODEM ADOECER

 

1. A “Teologia da Prosperidade”. Os proponentes dessa falsa teologia ensinam que o crente fiel não pode adoecer, pois a doença é do Diabo. Propalam que todo cristão deve viver uma vida plena, isenta de doenças; e que, na idade avançada, devem viver sem dor ou sofrimento. Segundo esses “teólogos”, quem fica doente não está reivindicando seus direitos como filho de Deus ou não tem fé. O ensino bíblico, porém, é claro ao ensinar que muitas são as aflições do justo.

2. O corpo ainda não está plenamente salvo. Na cruz, Jesus garantiu a salvação de nosso espírito, alma e corpo, dando-nos direito à vida eterna e à cura das enfermidades, em seu nome (Is 53.4,5; Mc 16.18). Entretanto, quanto ao corpo, o efeito da obra salvífica ainda não se manifestou plenamente. Isso porque, enquanto o espírito e a alma (o homem interior - 2 Co 4.16) são salvos no momento da conversão a Cristo, o corpo ainda aguarda a completa redenção (Rm 8.23; 1 Co 15.42-45,53,54). Todavia, isto não significa que não podemos ter uma vida saudável.

 

SINOPSE DO TÓPICO (IV)

 

Ao contrário do que crêem os adeptos da teologia da prosperidade, até mesmo os crentes em Jesus são acometidos de doenças. O Senhor Jesus, no entanto, deu à sua Igreja autoridade para curar os enfermos em seu nome.

 

V. PLANO DIVINO PARA UMA VIDA SAUDÁVEL (Êx 15.26)

 

Tanto no Antigo como no Novo Testamento, o Senhor é apresentado como aquEle que sara as enfermidades do seu povo (Êx 15.26; Mt 8.14-17; 1 Pe 2.21; Sl 103.3). No Antigo Testamento, a condição para experimentar a cura divina era a obediência à Lei (Dt 7.11-15), mas em o Novo, ela está disponível a todos quantos se convertem a Deus mediante a fé em Jesus.

Êxodo 15.26, apresenta algumas condições para que o homem viva uma vida abençoada e saudável. Vejamos:

1. Obedecer à voz do Senhor. Deus fez promessas maravilhosas ao seu povo como resultado da obediência (Dt 28.1,2). A obediência irrestrita a Deus põe o homem em comunhão com o Espírito Santo. Essa sujeição à vontade do Senhor, por meio do relacionamento do crente com o Espírito de Cristo, é fundamental para o equilíbrio emocional.

2. Fazer o que é reto diante de Deus. Mesmo sofrendo oposição dos que praticam o erro, o crente íntegro, sente paz com Deus e dorme com a consciência tranquila, sob as bênçãos do Senhor. A integridade e a obediência a Deus produzem paz interior e equilíbrio emocional (Sl 55.22).

3. Guardar os estatutos do Senhor. Os estatutos são como uma regulamentação dos mandamentos de Deus. É a “lei do Senhor” tão mencionada na Bíblia, principalmente nos Salmos. Esse “plano de saúde” divino tem sua explicitação em outros textos, como por exemplo, Deuteronômio 7.15a: “E o SENHOR de ti desviará toda enfermidade...”.

4. Jesus Cristo é o Médico Divino. Ele curou a muitos de enfermidades físicas (Mt 8.16); expulsou demônios (Mc 1.34); e concedeu, em seu nome, autoridade aos seus servos para também curar e expulsar demônios (Mc 16.17.18). Jesus não mudou; Ele é o mesmo (Hb 13.8). Em o nome de Jesus somos atendidos em nossas orações (Jo 14.13), mas é necessário estarmos em comunhão com Ele e com sua Palavra (Jo 15.7).

 

SINOPSE DO TÓPICO (V)

 

A doutrina da cura divina foi estabelecida e tipificada por Deus no Antigo Testamento (Êx 15.26; Nm 21.6-9) e exercida por Jesus em seu tríplice ministério.

 

CONCLUSÃO

 

Um dia não haverá mais doenças nem morte (Ap 21.4). Porém, enquanto estamos aqui, devemos zelar pela nossa saúde física, mental e emocional. Precisamos lembrar que o nosso corpo é o templo do Espírito Santo, por isso, temos de cuidar de nossa saúde por meio de uma alimentação correta, repouso adequado, exercícios físicos, jejum e oração.

 

VOCABULÁRIO

 

AIDS ou SIDA: Síndrome de Imunodeficiência Adquirida. Doença causada pelo vírus HIV responsável por destruir as células de defesa do organismo.
Doenças psicossomáticas: Doenças provocadas por problemas emocionais.
OMS: Organização Mundial de Saúde.

 

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

 

ZIBORDI, C. S. Evangelhos que Paulo jamais pregaria. RJ: CPAD, 2006.

 

EXERCÍCIOS

 

1. Qual a origem do sofrimento e das doenças?

R. O pecado do homem no Éden.

 

2. Quais as principais doenças que continuam ceifando vidas?

R. O infarto, o câncer e o AVC.

 

3. Quais os fatores que contribuem para o surgimento de doenças mentais?

R. O excesso de competitividade; a luta pele sucesso profissional; o insucesso na vida afetiva e os estresses.

 

4. O que ensina a falsa teologia da prosperidade?

R. Ensina que o cristão fiel não pode adoecer, pois a doença é do Diabo.

 

5. Qual a distinção entre o AT e o NT a respeito da cura divina?

R. No AT, a condição para experimentar a cura divina é a obediência à Lei (Dt 7.11-15), mas em o Novo Testamento, a cura está disponível a todos quantos se converterem a Deus mediante a fé em Jesus.

 

AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO

 

Subsídio Teológico

 

“Saúde é o que interessa!

Os pregadores do deus ‘Papai Noel’ asseveram que o crente nunca fica doente — se ficar, está em pecado, não entendeu o que é viver pela fé, além de estar dominado pelo Diabo. Que falácia! Tudo isso porque as suas mensagens visam agradar o ser humano e atendê-lo em suas necessidades restritas a essa vida, como saúde, prosperidade e bem-estar.

Para início de conversa, nem todas as doenças provêm do Maligno. E, queiram ou não os tais pregadores, toda carne é como a erva, e a glória do homem como a flor da erva (1 Pe 1.24). O sei humano se desgasta, pois o seu corpo é corruptível (2 Co 4.16). Um dia, os salvos se revestirão de incorruptibilidade (1 Co 15.54); por enquanto, embora Jesus tenha poder para nos curar, segundo a sua vontade (1 Jo 5.14; Mt 6.9,10), estamos sujeitos às enfermidades. Os pregadores da saúde perfeita sempre ‘exigem’ a cura e dizem que o Senhor cura sempre, pois a saúde é um direito do crente. Por que, então, Eliseu morreu em decorrência de uma enfermidade (2 Rs 13.14)? Por que Timóteo e Trófimo não foram curados (1 Tm 5.23; 2 Tm 4.20)? Estariam esses homens de Deus endemoninhados? Jó e Lázaro estavam igualmente possessos, quando adoeceram (Jó 1.12.12,13)? Se a saúde é um direito do crente, por que ele fica doente?

Em Salmos 41.3, está escrito: ‘O Senhor o sustentará no leito de enfermidade; tu renovas a sua cama na doença’”.

(ZIBORDI, C. S. Evangelhos que Paulo jamais pregaria. RJ: CPAD, 2006, p.59-60.)

 

APLICAÇÃO PESSOAL

 

A Palavra de Deus afirma que o nosso “corpo é templo do Espírito Santo” (1 Co 6.19). Logo, ele não nos pertence. Precisamos cuidar dele com muito zelo e equilíbrio. Como crente em Jesus Cristo, você tem procurado viver de modo equilibrado? Tem procurado realizar uma alimentação saudável? Se alguém viver em um edifício de propriedade de outra pessoa, procurará violar as regras do edifício? Como seu Criador, Deus nos concedeu uma espécie de “manual do fabricante”, que é a Sua Palavra.

Jesus veio destruir as obras do Diabo, que podem ser também doenças espirituais ou físicas, pois no Calvário se cumpriu às palavras: “Ele tomou sobre si as nossas enfermidades...”. Embora você cuide de sua saúde, é bom lembrar que na Bíblia, em várias ocasiões, Deus usou a dor, juntamente com outras aflições, como um instrumento para moldar o caráter de seus filhos. Embora ninguém queira ficar doente, as enfermidades aprofundam a nossa dependência de Cristo. Muitos crentes têm a saúde débil, mas espiritualmente estão fortes.