Lições Bíblicas CPAD

Jovens e Adultos

 

 

2º Trimestre de 2007

 

Título: Tempos Trabalhosos - Como enfrentar os desafios deste século

Comentarista: Elinaldo Renovato de Lima

 

 

Lição 11: Mornidão espiritual

Data: 17 de Junho de 2007

 

TEXTO ÁUREO

 

Eu sei as tuas obras, que nem és frio nem quente. Tomara que foras frio ou quente!(Ap 3.15).

 

VERDADE PRÁTICA

 

A mornidão espiritual leva o crente à soberba, à iniqüidade e à apostasia contra Deus.

 

LEITURA DIÁRIA

 

Segunda - Mt 16.27

A prestação de contas

 

 

Terça - 1 Tm 6.10

O amor ao dinheiro é a raiz de todos os males

 

 

Quarta - Lc 12.20,21

Ajuntar tesouros na terra

 

 

Quinta - Dt 32.10-15

Esquecer-se de Deus em meio à prosperidade

 

 

Sexta - Fp 4.12,13

Sabedoria para viver

 

 

Sábado - Hb 4.12,13

A Palavra de Deus

 

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

 

Apocalipse 3.14-20.

 

14 - E ao anjo da igreja que está em Laodicéia escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus.

15 - Eu sei as tuas obras, que nem és frio nem quente. Tomara que foras frio ou quente!

16 - Assim, porque és morno e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca.

17 - Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta (e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu),

18 - aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças, e vestes brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os olhos com colírio, para que vejas.

19 - Eu repreendo e castigo a todos quantos amo; sê, pois, zeloso e arrepende-te.

20 - Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvira minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e com ele cearei, e ele, comigo. Eu sei as tuas obras, que nem és frio nem quente. Tomara que foras frio ou quente!

 

INTERAÇÃO

 

“Sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, na caridade, no espírito, na fé, na pureza. Persiste em ler, exortar e ensinar, até que eu vá” (1 Tm 4.12-13). É necessário que o educador cristão aprofunde sempre seus conhecimentos bíblicos e tenha uma vida de constante oração, a fim de manter acesa a chama do Espírito em sua vida (1 Ts 5.19). Os dias que antecedem a volta de Cristo são marcados pelo aumento da apostasia. Portanto, é fundamental orientar os cristãos a precaverem-se dos falsos ensinos, do fracasso e mornidão espirituais. Deus quer restaurar aqueles que porventura estão inseridos nessas circunstâncias e deseja usá-lo para este fim.

 

OBJETIVOS

 

Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:

  • Descrever as características da mornidão espiritual.
  • Saber as causas e os efeitos da mornidão.
  • Refletir sobre o dever de o crente entregar todas as suas necessidades a Deus.

 

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

 

Professor, é necessário que o aprendizado também conduza o aluno a reflexões pessoais. A igreja de Laodicéia foi reprovada pelo Senhor, mas também foi exortada ao arrependimento. Seus problemas são diagnosticados, mas, ao mesmo tempo, Jesus aponta soluções que, se cumpridas, resultarão em recompensas gloriosas. Portanto, sugerimos que você reproduza em tiras de papel as características do estado de mornidão espiritual descritas adiante. Ao final do tópico dois, com o auxílio do quadro de pregas, apresente as características do crente em estado de mornidão. Sugira aos alunos que façam uma auto-avaliação dos pontos expostos.

 

O CRENTE EM ESTADO DE MORNIDÃO

 

1 - Hesita entre dois pensamentos (1 Rs 18.21; Tg 1.6).

2 - O coração está sempre dividido (Os 10.2a).

3 - Serve ao Senhor parcialmente (2 Cr 25.2b).

4 - É um bolo que não foi virado (Os 7.8b).

 

COMENTÁRIO

 

introdução

 

Palavra Chave

Mornidão Espiritual: “A igreja morna é aquela que transige com o mundo e, em comportamento, se assemelha à sociedade ímpia”. (BEP)

 

Por causa de sua prosperidade material, a igreja de Laodicéia parecia estar vivendo um tempo de grandes bênçãos. Todavia, é severamente repreendida pelo Senhor Jesus: “... porque és morno... vomitar-te-ei da minha boca” (Ap 3.16). O que isto significa? O que é ser morno? O crente frio não mais demonstra interesse pelo Reino de Deus, por estar comprometido com o mundo (Mt 24.12). Mas o que significa ser morno? Este é o tema central de nossa lição. Estudaremos a respeito deste estado de morbidez espiritual, e a receita que Jesus prescreve para se combatê-la.

 

I. JESUS ADVERTE O PASTOR

 

1. Ao anjo da igreja (v.14). O Senhor Jesus não se dirigiu diretamente aos crentes laodicenses, mas ao anjo da igreja - o pastor. Pois ele é o responsável pelo estado espiritual da igreja. Isto não anula, evidentemente, a responsabilidade de cada crente diante de Deus (Rm 14.12). Quanto ao pastor, além de prestar contas de si mesmo ao Senhor, o mesmo fará em relação à igreja que Jesus lhe confiou (Mt 25.21; 1 Pe 5.1-4; Hb 13.17). Ele é o apascentador (1 Pe 5.2) e o vigia do rebanho (Is 21.11), razão pela qual deve ser o exemplo para sua igreja (1 Tm 4.12).

2. Jesus se apresenta à igreja (v.14b). “Isto diz o Amém”. Para a igreja morna, Jesus se apresentou como o “Amém”, ressaltando a fidelidade e a verdade divinas. A igreja de Laodicéia não tinha firmeza de propósitos; era vacilante e sem poder. A ela, Jesus se apresentou também como a “testemunha fiel e verdadeira”. Ele é o modelo invariável e imutável para todos os crentes (1 Ts 1.6; Hb 4.15a).

 

SINOPSE DO TÓPICO (I)

 

Jesus dirige-se ao pastor e à igreja morna de Laodicéia como o Amém, ressaltando a fidelidade e a verdade divinas.

 

II. A MORNIDÃO DE LAODICÉIA

 

1. “Eu sei as tuas obras” (3.15). Os crentes de Laodicéia viviam de modo desordenado, carnal e autoconfiante em seus recursos. Não eram contrários ao evangelho, porém não viviam de acordo com a Palavra de Deus. Eram mornos. Aos cristãos laodicenses, o Senhor Jesus iniciou sua mensagem de advertência, declarando que sabia, plenamente, as obras que eram praticadas por eles. Ele vê tudo o que se passa nas igrejas (Mc 4.22).

2. “Que nem és frio nem quente” (3.15b). Laodicéia tornou-se insuportável para Deus. Num realismo surpreendente, o Senhor acrescentou: “Tomara que foras frio ou quente!”. É compreensível que o Senhor deseje uma igreja quente; mas uma igreja fria, parece contra-senso. Isto só é explicável se este último estado for pior do que o anterior.

3. Vomitado por Deus (v.16). Como o crente morno não permite que Deus opere plenamente em sua vida, é vomitado pelo Senhor, segundo a figura usada no Apocalipse. Somente quem já se sentiu rejeitado por Deus pode avaliar como isso é terrível. Davi e Saul, em conseqüência de seus pecados, passaram por situações de abandono por parte de Deus (Sl 51.8,11; 1 Sm 28.6; 16.1).

 

SINOPSE DO TÓPICO (II)

 

A mornidão dos crentes de Laodicéia é notada pelos seus atos egoístas, seculares e carnais. Tornaram-se, portanto, desagradáveis e insuportáveis para Deus.

 

III. CAUSAS DA MORNIDÃO

 

1. Apego à prosperidade material (3.17a). A igreja de Laodicéia, localizada num próspero centro comercial, achava-se apegada à riqueza. Ao invés de serem gratos a Deus, aqueles crentes preferiam viver de modo egoísta, secular e carnal. Resultado: a riqueza material era acompanhada de miséria espiritual (1 Tm 6.10).

2. Auto-suficiência (3.17a). A igreja, representada pelo seu pastor, dizia: “... e de nada tenho falta”. Há pessoas que, quando pobres, acham-se apegadas a Deus, à sua Palavra, à igreja. Porém, quando Deus lhes concede prosperidade material, tornam-se egoístas e ingratas. Deixam de dar prioridade à vida espiritual para se envolverem com as coisas materiais, esquecendo-se completamente de Deus e de sua casa.

3. A realidade espiritual de Laodicéia (3.17b). Enquanto os crentes de Laodicéia diziam-se ricos, Jesus chamava-os de pobres: “e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu”. Os olhos de Deus (Ap 2.18) vêem não apenas o exterior, mas o coração de cada um. A igreja havia perdido as riquezas da glória (Ef 1.18) e da graça (Ef 2.7).

 

SINOPSE DO TÓPICO (III)

 

A mornidão espiritual em Laodicéia devia-se ao apego à riqueza e à auto-suficiência dos crentes, pois não priorizavam a vida espiritual e se embaraçavam com as coisas deste mundo.

 

IV. A MISERICÓRDIA DE DEUS PARA COM LAODICÉIA

 

1. Miséria espiritual. “E não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu” (3.17b). Cinco palavras foram suficientes para o Senhor Jesus resumir a situação de extrema penúria espiritual de Laodicéia. Eles julgavam-se ricos. Mas, diante do Senhor, eram miseráveis, pobres e cegos. Nada possuíam. Entretanto, Deus, em sua misericórdia, apontou o caminho para que a igreja saísse da miséria espiritual.

2. Solução para a miséria espiritual. “Aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças” (3.18a). Na tipologia bíblica, o ouro é símbolo da glória de Deus. No Tabernáculo e no Templo, alguns utensílios eram de madeira, mas revestidos de ouro. É o que Deus requer de nós, obreiros e crentes em geral. Que sejamos revestidos de Deus (Rm 13.14), protegidos com a armadura espiritual (Ef 6.11), plenos do fruto do Espírito Santo (Cl 3.12), da caridade (Cl 3.14). Isso é ser rico para com o Senhor, ainda que, na vida material, experimentemos a carência de recursos.

3. Vestes espirituais de santidade e pureza. “E vestes brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez” (3.18b). Isto significa purificação das vestes espirituais manchadas pela iniqüidade (Zc 3.1-4; Ap 22.14).

O pecado não somente nos mancha as vestes espirituais, como também nos deixa nus diante de Deus. Haja vista o ocorrido com Adão e Eva após haverem desobedecido à voz divina (Gn 3.7-11). Disto concluímos que, tanto espiritual quanto fisicamente, devem os filhos de Deus andar de maneira ordeira e decente conforme recomenda a Palavra de Deus (1 Tm 2.9).

4. Exortação ao arrependimento. “Eu repreendo e castigo a todos quantos amo; sê, pois, zeloso e arrepende-te” (3.19). O amor de Deus estendeu-se sobre a igreja de Laodicéia, alertando-a quanto ao castigo prestes a abater-se sobre ela caso não se arrependesse: “sê, pois, zeloso e arrepende-te”.

5. Jesus do lado de fora! “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e com ele cearei, e ele comigo” (3.20). Jesus estava do lado de fora. Mas, misericordioso como é, continuava a bater até que alguém lhe ouvisse a voz (Ap 3.20). Ele quer restaurar-nos com um grande avivamento. Aleluia! Abramos-lhe, pois, a porta e o convidemos a entrar sem mais tardança.

6. Promessa gloriosa! “Ao que vencer, lhe concederei que se assente comigo no meu trono, assim como eu venci e me assentei com meu Pai no seu trono. Quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas” (Ap 3.21,22). De todas as promessas de vitória, dadas às igrejas da Ásia, talvez a que Jesus fez a Laodicéia tenha sido a mais gloriosa. E esta promessa diz respeito a nós também.

 

SINOPSE DO TÓPICO (IV)

 

Jesus exorta os crentes laodicenses ao arrependimento, mesmo estando do lado de fora daqueles corações. Para os contritos, Deus tem promessas gloriosas.

 

CONCLUSÃO

 

A mornidão espiritual causa grande desgosto e pesar ao Senhor Jesus. Chequemos, pois, constantemente a temperatura do nosso coração. É preciso reacender, diariamente, a paixão espiritual por Jesus. As Escrituras afirmam que, um dia, os santos com Ele reinarão (Mt 19.28; Ap 20.4). Então, como ficar morno diante de um futuro tão glorioso? Nunca se esqueça da exortação do Senhor: “O fogo arderá continuamente sobre o altar; não se apagará” (Lv 6.13).

 

VOCABULÁRIO

 

BEP: Bíblia de Estudo Pentecostal.
Contra-senso: Dito ou fato contrário ao bom senso; absurdo, disparate.
Morbidez: Qualidade ou caráter de mórbido; enfraquecimento doentio.

 

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

 

HORTON, S. M. Apocalipse: as coisas que brevemente devem acontecer. 2.ed., RJ: CPAD, 2001.

 

EXERCÍCIOS

 

1. Por que Deus se dirigiu ao "anjo da igreja"?

R. Porque ele é o responsável pelo estado espiritual da igreja.

 

2. Como viviam os crentes de Laodicéia?

R. Os crentes de Laodicéia viviam de modo desordenado, carnal e autoconfiante.

 

3. Como Jesus resumiu o estado espiritual de Laodicéia?

R. Frio e nem quente, desgraçado, miserável, pobre, cego e nu.

 

4. O que a igreja de Laodicéia havia perdido?

R. A igreja havia perdido as riquezas da glória e da graça.

 

5. Qual o significado do "ouro" na tipologia bíblica?

R. O ouro é o símbolo da glória de Deus.

 

AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO

 

Subsídio Teológico

 

“Laodicéia não é quente nem fria

Aparentemente, os crentes em Laodicéia estavam agindo como se tivessem esquecido quem era Jesus e porque havia Ele morrido. O Senhor Jesus faz-lhes, então, uma advertência muito forte por não serem nem ‘frios’ nem ‘quentes’. Antes de haverem aceitado a fé, eram frios. Ao receberem a Jesus, haviam se tornado quentes - zelosos seguidores do Mestre. Agora, porém, encontravam-se num perigoso estado intermediário - a mornidão espiritual. Não estavam mais desejosos de corresponder ao movimento do Espírito, nem estavam frios o suficiente para perceber quão grandes eram suas necessidades. Além de nada fazerem à obra de Deus, não respondiam ao seu chamado ao arrependimento. Por isso, Jesus deseja que fossem frios ou quentes, pois, assim, poderia fazer alguma coisa por eles”.

(HORTON, S. M. Apocalipse: as coisas que brevemente devem acontecer. 2.ed., RJ: CPAD, 2001, p.57)

 

APLICAÇÃO PESSOAL

 

“Deus não tolera uma vida espiritual medíocre. Ele deseja que todos os crentes estejam envolvidos no amor e no serviço. Considere a igreja de Laodicéia. Esta igreja era vaidosa e auto-sufuciente, mas possuía um sério problema - fé superficial, improdutiva e morna. Deus não aceita uma fé morna, pois Ele se enfurece com uma religião que mantém a aparência e que ignora a fé genuína e sincera”.

(Bíblia de Estudo Devocional Max Lucado – CPAD)