Lições Bíblicas CPAD

Jovens e Adultos

 

 

3º Trimestre de 2007

 

Título: A busca do caráter cristão

Comentarista: Eliézer de Lira e Silva

 

 

Lição 2: Davi, um homem segundo o coração de Deus

Data: 15 de Julho de 2007

 

TEXTO ÁUREO

 

Achei a Davi, meu servo; com o meu santo óleo o ungi(Sl 89.20).

 

VERDADE PRÁTICA

 

A humildade de espírito predispõe o homem para o serviço de Deus, tanto na igreja como na sociedade.

 

LEITURA DIÁRIA

 

Segunda - 2 Cr 7.14

O caminho do perdão

 

 

Terça - Pv 9.9-11

Preservando o caráter e nutrindo a alma

 

 

Quarta - 1 Pe 3.10-13

Buscando a paz e fazendo o bem

 

 

Quinta - Pv 16.9

Deus dirige a vida do justo

 

 

Sexta - Pv 10.9

A segurança espiritual do crente

 

 

Sábado - Sl 128.1-6

Vivendo vitoriosamente

 

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

 

1 Samuel 13.13,14; Salmos 51.1,4,10,12,13.

 

1 Samuel 13

13 - Então, disse Samuel a Saul: Agiste nesciamente e não guardaste o mandamento que o SENHOR, teu Deus, te ordenou; porque, agora, o SENHOR teria confirmado o teu reino sobre Israel para sempre.

14 - Porém, agora, não subsistirá o teu reino; já tem buscado o SENHOR para si um homem segundo o seu coração e já lhe tem ordenado o SENHOR que seja chefe sobre o seu povo, porquanto não guardaste o que o SENHOR te ordenou.

 

Salmos 51

1 - Tem misericórdia de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; apaga as minhas transgressões, segundo a multidão das tuas misericórdias.

4 - Contra ti, contra ti somente pequei, e fiz o que a teus olhos é mal, para que sejas justificado quando falares e puro quando julgares.

10 - Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova em mim um espírito reto.

12 - Torna a dar-me a alegria da tua salvação e sustém-me com um espírito voluntário.

13 - Então, ensinarei aos transgressores os teus caminhos, e os pecadores a ti se converterão.

 

INTERAÇÃO

 

Professor, como foi a expectativa da classe em relação ao tema deste trimestre? Eles estão motivados e interessados no estudo biográfico da vida e do caráter dos heróis bíblicos? Nesta segunda lição, inicie a ministração perguntando aos alunos: “Quem sabe o significado do nome Davi?”, “Quantos irmãos Davi possuía?”, “Quais as principais funções que Davi exerceu em sua vida?”, “Quais os aspectos positivos e negativos do caráter de Davi?”. A seguir, faça uma breve apresentação do tema que será estudado. Não se esqueça de aplicar o ensino à vida prática dos alunos.

 

OBJETIVOS

 

Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:

  • Descrever a vida e o trabalho do rei Davi.
  • Explicar as características do caráter de Davi.
  • Aspirar um coração contrito diante do Senhor.

 

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

 

Professor, Davi desempenhou várias atividades ao longo de sua vida (1 Sm 16.18). Ele foi pastor de ovelhas (1 Sm 16.11; 2 Sm 7.8), guerreiro (1 Sm 17.45-47), rei (2 Sm 5.3), poeta (Sl 23), músico (1 Sm 16.23), pai (2 Sm 3.3; 5.13-16), entre outras importantes ocupações. O filho mais novo de Jessé (1 Sm 16.1 1), no entanto, era um homem que confiava inteiramente em Deus (Sl 27.3), e anelava pela presença do Altíssimo (Sl 27.4). Todavia, em algumas ocasiões pecou contra o Senhor (Sl 32; 51), trazendo graves prejuízos a Israel (1 Cr 21) e a sua família (2 Sm 12.10). Para esta lição, faça uma tabela apresentando alguns aspectos positivos e negativos da vida e do caráter de Davi. Veja um exemplo abaixo.

 

 

COMENTÁRIO

 

introdução

 

Palavra Chave

Contrição: Tristeza e arrependimento pelos próprios pecados, motivados pelo amor e misericórdia do Senhor.

 

Israel estava vivendo uma crise na liderança política e na vida espiritual. Os filhos de Samuel, que deveriam julgar a nação com eqüidade, não trilharam os retos caminhos do pai (1 Sm 8.1-5). Desorientado, o povo decidiu buscar um rei que os governasse (1 Sm 8.5-9; 10.17-25). Elegeram a Saul. Apesar de cumprir os principais requisitos humanos, Saul foi rejeitado por Deus, em razão de sua infidelidade (1 Sm 13.14). É exatamente nesse contexto que surge Davi, um homem segundo o coração de Deus (1 Sm 13.14; 16.11-13).

 

I. DAVI, UM SERVO FIEL E RESPONSÁVEL

 

1. No pastoreio das ovelhas. Davi era muito jovem quando recebera de Jessé, seu pai, a incumbência de cuidar das ovelhas da família. Apesar de importante, esse trabalho aparentemente simples, era negligenciado por seus irmãos (1 Sm 16.11; 17.28). Mas, por incrível que pareça, foi justamente esse serviço que deu a Davi a capacidade de tornar-se um grande líder, e mais tarde, o rei de Israel.

Davi era capaz de arriscar a própria vida por uma ovelha (1 Sm 17.34,35). Sua dedicação e responsabilidade eram suficientes para que Deus o tornasse pastor das ovelhas da casa de Israel (Sl 78.70-72).

A despeito de ter sido ungido rei, o homem que era segundo o coração de Deus, continuou fiel na tarefa de apascentar as ovelhas de seu pai (1 Sm 16.17-19). Essas características não são vistas em todas as pessoas que servem a Cristo.

2. Na corte do rei. Mesmo sabendo que Deus o escolhera para sucessor do trono de Saul, Davi nunca se negou a dedilhar sua harpa perante o rei. Tocava-a com tanto desvelo e dedicação, que recebera do perturbado monarca, amor, amizade e benevolência (1 Sm 16.21-23). Sem nunca reivindicar a posse do que era seu, o futuro líder de Israel fazia tudo o que lhe vinha às mãos, apenas confiando no Senhor (Ec 9.10).

 

SINOPSE DO TÓPICO (I)

 

Davi foi um fiel servidor de sua família e de seu rei. Sua fidelidade e abnegação comprovaram a excelência de seu caráter.

 

II. ASPECTOS DO CARÁTER DE DAVI

 

No tempo determinado, o Senhor ordenou a Samuel que fosse à casa de Jessé, o belemita, ungir um novo rei (1 Sm 16.1). Aparentemente, o critério seria o mesmo utilizado na escolha de Saul: o candidato teria de ser o mais belo, mais alto e mais elegante jovem da região. Tendo isso em mente, Samuel estava certo de que o escolhido do Senhor era Eliabe, o filho mais velho de Jessé (1 Sm 16.6,7). Por sua vez, o próprio Jessé, não tinha dúvida de que Abinadabe seria o eleito, ou quem sabe Samá... Ambos estavam enganados! (1 Sm 16.8,9). “Porque o Senhor não vê como vê o homem. Pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração” (v.7). O Altíssimo não se preocupa com a aparência externa do homem, mas observa seu caráter impoluto, irrepreensível e santo. Por isso escolhera o pequeno Davi. É um desastre quando não se utiliza critérios bíblicos na separação de uma pessoa para o santo ministério (At 9.11-15; Ef 4.11-12). O que tinha Davi de especial para que Deus lhe dispensasse tanta estima e consideração? As características de seu caráter revelam que ele era um homem que amava a Deus acima de todas as coisas, e nEle cria de todo o coração.

1. Coração de servo. Davi nunca se queixou do laborioso e solitário pastoreio das ovelhas de seu pai. Ungido rei não hesitou em voltar ao seu trabalho habitual. Servia ao pai prazerosamente com o que sabia e mais gostava de fazer: estar com as ovelhas (1 Sm 16.19). Davi tinha um coração de servo! Deus mesmo chamou-o de servo (Sl 78.70; 89.20). É imprescindível a todo cristão avaliar o modo como serve a Cristo (Mt 7.21). Você o tem servido de todo o coração? Jesus é o maior exemplo de servo humilde e obediente (Jo 4.34; Fp 2.5-8).

2. Humildade. Davi era um homem humilde e reconhecedor de suas limitações (Sl 131; 40.12,17). Apesar de ser um soldado inigualável, um comandante corajoso, um rei exemplar, sempre atribuiu todas as suas vitórias ao Senhor dos Exércitos (Sl 34.4-7; 40.5-10; 124; 144.1,2). Quanto mais o homem se aproxima da bondade, santidade e grandeza do Altíssimo, mais consciente se torna de seus pecados, mazelas e misérias (Rm 7.24,25; 12.3).

3. Sinceridade. Sabendo que todas as coisas estão diante do Senhor (Sl 139), Davi nunca quis ser uma pessoa diferente do que realmente era. Portava-se perante o Altíssimo com o coração sincero (Sl 26.2; 38.9). Numa sociedade em que se valoriza excessivamente o exterior, Deus não leva em conta o que alguém diz sobre si mesmo, mas o que verdadeiramente é. Para o salmista, sinceridade e integridade são indispensáveis aos que desejam desfrutar de íntima comunhão com o Eterno (Sl 15).

4. Dependência de Deus. Davi dependia do Senhor em todos os momentos e circunstâncias da vida. Seu maior desejo era conhecer os caminhos de Deus, e para isso, punha-se sob sua direção em tudo que fazia (Sl 17.5; 18.21; 25.4,5; 143.8,10). Jeová era seu mais precioso tesouro (Sl 16.2,5; 142.5).

5. Coragem. A coragem de Davi era incontestável: matou um leão e um urso (1 Sm 17.34,35), apresentou-se para enfrentar o gigante Golias (1 Sm 17.32), lutou bravamente contra os filisteus sob risco da própria vida. Sua evidente coragem firmava-se na autêntica fé em Deus (1 Sm 17.37,45-47; 23.2-5).

6. Gratidão. Davi não se cansava de exaltar ao Senhor por seus maravilhosos feitos. Seus salmos estão repletos de gratidão e louvor ao Todo-Poderoso (Sl 9.1,2; 86.12; 138.1,2). Eles refletem a alegria, a satisfação e o reconhecimento por todas as bênçãos recebidas (Sl 7.1,17; 8.1-9; 13.5,6; 16.7; 18.46,49,50; 144.1,2; 145.1-21).

7. Arrependimento. Segundo a lei mosaica, Davi cometeu dois pecados imperdoáveis: adultério e assassinato premeditado (2 Sm 12.9; ver Êx 20.13,14; 21.12-15; Lv 20.10; Dt 22.23,24; Sl 51.14-17). Saul também transgredira a Lei do Senhor e, em virtude disso, perdera até o trono. Mas realmente o que o torna diferente de Davi? Provavelmente sua atitude em relação ao pecado. Ao pecar, Saul tentou justificar-se transferindo sua responsabilidade para o povo (1 Sm 13.13-14; 15.1-3,9,15-31), ao passo que Davi, arrependeu-se profundamente (2 Sm 12.13a; Sl 51.4). O crente em Jesus que não reconhece seus erros e rejeita a disciplina do Senhor, poderá ter o mesmo destino de Saul (Mt 18.15-17; 2 Ts 2.6-14). A Palavra de Deus é incisiva: "O que encobre as suas transgressões nunca prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia" (Pv 28.13). Davi arrependeu-se do que fez, pediu perdão a Deus de todo o coração e foi perdoado (2 Sm 12.13b; Sl 32.5; 38.18; 51.3-19). Embora remido de sua iniqüidade, Davi sofreu as conseqüências do seu pecado (2 Sm 12.10-14; Gl 6.7,8).

 

SINOPSE DO TÓPICO (II)

 

As sete características do caráter de Davi revelam seu amor incondicional a Deus. Ele era um homem abnegado, humilde, sincero, corajoso, grato, contrito e dependente de Deus.

 

III. DAVI E SEU CONHECIMENTO DO SENHOR

 

O caráter de Davi foi lapidado por meio de sua comunhão com Deus e obediência irrestrita às Escrituras. Ele era um profeta usado pelo Espírito Santo e conhecia profundamente a Deus (At 1.16; 2.29-36). A revelação divina era tão profusa na vida do salmista que, às vezes, ele se prostrava reverentemente diante da grandeza do Senhor (Sl 139.6,14,17).

Veja como Davi descreveu seu conhecimento da natureza e do caráter de Deus.

1. Deus poderoso. Davi sabia que Deus não é apenas o Criador do Universo, mas também o que o mantém sob total harmonia, garantindo a vida e o bem-estar do homem (Sl 8; 19.1-6; 24.1,2).

2. Deus que ouve seus filhos. A confiança de Davi originava-se da convicção de que o Senhor sempre ouve o clamor de seus filhos (Sl 3.4; 4.3; 6.9; 17.6; 18.6; 21.2). Nos momentos mais difíceis de sua vida, lá estava o salmista em oração. As Escrituras nos orientam a levarmos as nossas necessidades em oração e súplicas ao Senhor, com a certeza de que Ele responde a oração do justo (Fp 4.6; Jo 15.7; Hb 11.6; Tg 5.16).

3. Deus que julga com justiça. A experiência de Davi o havia ensinado que somente o Senhor é capaz de julgar com justiça (Sl 7.8-11; 9.7,8,16; Hb 1.8). No mundo atual, quando a justiça é questionável e, muitas vezes, falha, podemos estar seguros de que o nosso Deus está no controle da situação e, ao fim, julgará a cada um segundo os seus atos (At 17.31; 1 Pe 1.17).

4. Deus Onisciente e Onipresente. Davi se considerava seguro por saber que em todo o tempo, lugar e circunstâncias, sua vida estava sob o olhar e o absoluto controle do Senhor (Sl 139). Hoje nós, cristãos, temos a promessa de que Jesus, o Emanuel, estará sempre conosco (Mt 28.20).

 

SINOPSE DO TÓPICO (III)

 

Davi conhecia o Senhor como Deus Todo-Poderoso, onisciente, onipresente, justo e que ouve os seus servos.

 

CONCLUSÃO

 

Davi, o homem segundo o coração de Deus, conhecia ao Senhor pelo fato de andar em sua presença. Ele, assim como o patriarca Jó, conhecia o Senhor por experiência própria e não porque ouviu falar dEle (Jó 42.5). Isto fez a diferença na vida do salmista e, com certeza, fará também na vida daquele que anda com Deus nos dias atuais. Para ser um homem ou mulher segundo o coração do Altíssimo é necessário conhecê-Lo e viver intimamente com Ele, obedecendo-o em tudo (Cl 1.10; Rm 12.1,2).

 

VOCABULÁRIO

 

Desvelo: Grande cuidado; carinho; vigilância, dedicação.
Impoluto: Não poluído; imaculado; puro, virtuoso.
Imprescindível: Que não se pode renunciar, dispensar ou abrir mão.
Incisivo: Decisivo, pronto, direto, sem rodeios.
Incontestável: Que não pode sofrer contestação, indiscutível.
Laborioso: Trabalhoso.
Lapidar: Talhar, aperfeiçoar, educar.

 

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

 

KENDRICK, M. 365 lições de vida extraída de personagens da Bíblia. RJ: CPAD, 1999.
LUCADO, M. Simplesmente como Jesus. RJ: CPAD, 2000.

 

EXERCÍCIOS

 

1. Quais as qualidades de Davi que foram evidenciadas no pastoreio?

R. Humildade, coragem, dedicação e responsabilidade.

 

2. Como Davi serviu a corte real, mesmo depois de ser ungido rei?

R. Com desvelo, dedicação e confiança em Deus.

 

3. Quais as qualidades que Deus busca em seus servos?

R. Deus não busca aparência externa, mas caráter impoluto, irrepreensível e santo.

 

4. Quais as sete principais qualidades do caráter de Davi?

R. Coração de servo, humildade, sinceridade, dependência de Deus, coragem, gratidão e arrependimento.

 

5. Como o salmista descreveu seu conhecimento da natureza e do caráter de Deus?

R. Davi descreveu a Deus como um ser pessoal poderoso; que ouve os seus filhos; justo; onisciente e onipresente.

 

AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO

 

Subsídio Devocional

 

“Treinando para nossa missão

Na luta mais famosa da história, Davi cumpriu sua missão integralmente. Essa devia ser uma demonstração entre o poder espiritual e secular, o vencedor leva tudo.

Tudo mudaria se Davi entendesse mal a sua missão. ‘Por Deus, Golias, os meus irmãos assustados me colocaram nessa!’ ou ‘Nós estamos filmando um anúncio para essa nova funda’ ou ‘Vou ser um astro nacional se acertar o primeiro tiro’. Nada disso faria sentido. Para entender sua missão, Davi precisava de uma história pessoal de oração, adoração e fé. Oração para desafiar com coragem o gigante. Adoração para saber que aquela era uma batalha espiritual, e fé bem exercitada para crer que podia ter êxito. Então, e só então, ele caminha das trincheiras para a planície.

Todos estamos engajados na batalha de Davi - a justiça contra a maldade. Nosso adversário é a mentira que aumenta as vendas, o beijo que viola votos, a concessão que transforma todas as afirmações da verdade numa salada mista. Davi sabia, talvez melhor do que ninguém, que a batalha espiritual decisiva tinha que ser enfrentada naquele dia, e que tinha que ser naquela hora. Estava pronto.

Você está?

Pela oração, adoração e prática da fé, treinamos para a missão que Deus coloca diante de nós”.

(KENDRICK, M. 365 lições de vida extraída de personagens da Bíblia. RJ: CPAD, 1999, p.109.)

 

APLICAÇÃO PESSOAL

 

“O que aconteceria se durante um dia e uma noite, Jesus vivesse a sua vida com o coração dEle? Se o seu coração ganhasse um dia de folga e sua vida fosse dirigida segundo o coração de Cristo? As prioridades dEle governando suas ações. As paixões dEle guiando suas decisões. O amor de Jesus conduzindo seu comportamento. Como você seria? As pessoas notariam alguma diferença? Sua família - será que veriam algo novo? Seus colegas de trabalho sentiriam a diferença? E os menos afortunados? Seriam tratados da mesma forma? E seus amigos? Perceberiam uma alegria maior? E quanto a seus inimigos? Receberiam mais misericórdia do coração de Jesus do que o seu? Deus deseja que você seja assim como Jesus. Ele quer que você tenha um coração como o dEle”.

(LUCADO, M. Simplesmente como Jesus. RJ: CPAD, 2000, p.13-4.)

 

Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade. (2Tm 2.15)