Lições Bíblicas CPAD

Jovens e Adultos

 

 

1º Trimestre de 2009

 

Título: Livro de Josué - As conquistas e as promessas do povo de Deus

Comentarista: Elienai Cabral

 

 

Lição 13: A despedida de um líder

Data: 29 de Março de 2009

 

TEXTO ÁUREO

 

"Eu e a minha casa serviremos ao Senhor" (Js 24.15).

 

VERDADE PRÁTICA

 

Deus usa homens obedientes à sua vontade e que estejam dispostos a servi-Lo com fidelidade e humildade.

 

LEITURA DIÁRIA

 

Segunda - Js 1.1,2,10,11

Josué, servo fiel às diretrizes do Senhor

 

 

Terça - Js 1.8

Josué, um líder dependente da Palavra de Deus

 

 

Quarta - Js 11.6

Josué, um líder corajoso

 

 

Quinta - Js 22.5

Josué, um líder que amava a Deus de todo coração

 

 

Sexta - Js 24.15

Josué, um líder também da família

 

 

Sábado - Js 24.29,30

A morte de Josué

 

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

 

Josué 24.14-18.

 

14 - Agora, pois, temei ao SENHOR, e servi-o com sinceridade e com verdade, e deitai fora os deuses aos quais serviram vossos pais dalém do rio e no Egito, e servi ao SENHOR.

15 - Porém, se vos parece mal aos vossos olhos servir ao SENHOR, escolhei hoje a quem sirvais: se os deuses a quem serviram vossos pais, que estavam dalém do rio, ou os deuses dos amorreus, em cuja terra habitais; porém eu e a minha casa serviremos ao SENHOR.

16 - Então, respondeu o povo e disse: Nunca nos aconteça que deixemos o SENHOR para servirmos a outros deuses;

17 - porque o SENHOR é o nosso Deus; ele é o que nos fez subir, a nós e a nossos pais, da terra do Egito, da casa da servidão, e o que tem feito estes grandes sinais aos nossos olhos, e nos guardou por todo o caminho que andamos e entre todos os povos pelo meio dos quais passamos.

18 - E o SENHOR expeliu de diante de nós a todas estas gentes, até ao amorreu, morador da terra; também nós serviremos ao SENHOR, porquanto é nosso Deus.

 

INTERAÇÃO

 

Professor, chegamos ao fim de mais um trimestre de Lições Bíblicas. Durante este período analisamos o precioso livro de Josué. Estudamos a geografia e demografia da Palestina, a teologia do livro, a conquista de Canaã e a distribuição das terras entre as tribos. Todavia, o mais importante não foi a informação transmitida aos alunos, mas as decisões, atitudes e posturas que eles assumiram após o estudo destas lições. Somos gratos a Deus pelo seu ministério, dádiva da bondade de nosso Senhor Jesus. O Espírito de Cristo o abençoe e até o próximo trimestre de Lições Bíblicas.

 

OBJETIVOS

 

Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:

  • Recapitular os principais ensinos do capítulo 24.
  • Assumir um compromisso com Deus de nunca abandonar os Seus preceitos.
  • Fazer de sua própria vida um "memorial" ao Senhor.

 

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

 

Professor, organize sua classe para o próximo trimestre. Com certeza, você já observou na Caderneta os nomes dos alunos que faltam frequentemente. Caso não seja possível visitá-los, envie uma carta, cartão ou um e-mail. A CPAD tem editado alguns modelos de cartas, entre elas, a que se destina aos alunos ausentes. Há também uma carta-convite para novas matrículas. Uma vez que estamos próximos do novo trimestre é recomendável que o professor envie memorandos aos alunos ausentes e também aos crentes que não frequentam a Escola Dominical.

 

COMENTÁRIO

 

introdução

 

Palavra Chave

Despedida: Últimas palavras ou atos que encerram uma atividade.

 

Chegamos ao último capítulo do livro de Josué. Aqui temos o derradeiro discurso do servo do Senhor sobre a lealdade a Deus. Josué aproveitou a ocasião solene para trazer à memória dos israelitas tudo o que Deus havia feito por eles. A partir daquele momento, Israel seria desafiado a decidir que caminho seguir. Estariam dispostos a servir ao Senhor com fidelidade? Ou ainda seriam influenciados pelos deuses dos amorreus?

Nesta lição, nos deteremos nas últimas palavras deste homem que fora integralmente leal ao seu povo, e ao Deus do seu povo.

 

I - JOSUÉ FAZ O POVO RECORDAR A FIDELIDADE DE DEUS

 

1. Uma retrospectiva histórica (vv.1-13). Josué mais uma vez reuniu o povo em Siquém a fim de fazer uma retrospectiva da história da nação israelita. A partir de Abraão, Josué lembrou aos filhos de Israel que foi o Senhor quem chamara o patriarca em Ur dos caldeus, prometendo-lhe a paternidade de uma grande nação.

O Todo-Poderoso planejou estabelecer, a partir de um homem, uma nação que fosse o modelo de sua justiça e santidade. Israel deveria ser esta nação, e para isso precisava conhecer muito bem suas origens, e recordar os grandes eventos e os muitos livramentos que obtivera sob os cuidados do Senhor.

O Eterno participara ativamente da vida do seu povo. Ele esteve presente nos momentos mais difíceis, quando os israelitas foram derrotados diante de seus inimigos (Js 7.8,9), mas também nas ocasiões alegres, quando obtiveram vitória (Nm 23.11,20). O Senhor está presente em todos os momentos da nossa caminhada. Ele jamais nos abandona (Is 49.15).

2. A fidelidade de Deus (vv.6-10). Josué aproveitou a oportunidade para relembrar aos israelitas de que foi o Senhor que os livrara de seus inimigos (v.11). Eles tinham de reconhecer a fidelidade de Deus para com seu povo (Sl 145.13; Is 41.10; 2 Co 1.18; Ap 19.11). Sem a presença divina jamais teriam sucesso. A nação precisava continuar confiando em Deus para seguir avante, prosperar e obter mais vitórias.

Você tem confiado inteiramente no Senhor? Segundo Charles Stanley, "quanto mais nos dispomos a confiar, mais provas de confiança Ele nós dá".

SINOPSE DO TÓPICO (I)

 

Josué fez uma retrospectiva histórica dos poderosos atos do Senhor a favor de Israel, a fim de reafirmar a fidelidade de Deus.

 

II - A RENOVAÇÃO DO CONCERTO

 

1. "Escolhei hoje" (vv.14,15). Os israelitas precisavam tomar uma decisão: obedecer ao Senhor do Universo ou adorar os ídolos locais feitos por mãos humanas. Era uma escolha pessoal. Você também pode escolher. Será Deus o Senhor da sua vida ou outro substituto qualquer? A quem você será leal? Josué queria saber se os israelitas seriam leais ao Senhor, por isso deixa claro que não havia lugar para a indecisão: "escolhei hoje" (v.15). Não se pode servir a dois senhores (Mt 6.24). Como servos de Deus, também precisamos decidir: seguir a Cristo fielmente ou ao mundo. Josué, juntamente com sua família, fizera a melhor escolha: "... eu e a minha casa serviremos ao Senhor" (v.15). Muitos eram os méritos do Altíssimo, logo Josué concluiu que nenhuma pessoa, com um mínimo de tino, deixaria de fazer a escolha certa. Deixar de servir e amar ao Senhor resultará depois em julgamento e destruição (v.20; 23.11-13).

2. Um compromisso solene. Diante do desafio de Josué o povo respondeu: "Nunca nos aconteça que deixemos o Senhor para servirmos a outros deuses" (v.16). Os israelitas fizeram uma pública "profissão de fé". Como crentes também temos a necessidade de fazer a nossa confissão (Hb 3.1; 4.14; 10.23). Vez por outra precisamos reafirmar nossa decisão de permanecer na fé e em obediência a Deus. A reafirmação de decisões justas, feitas pelo crente, inclui temer ao Senhor, ser leal à verdade, obedecer com sinceridade e renunciar ao pecado e todos os prazeres a ele associados (vv.14-16).

3. Deus nos libertou. Os israelitas reconheceram que fora o Senhor quem realizara maravilhas em seu favor (v.17). Deus os havia libertado da servidão do Egito. Da mesma forma, precisamos, como crentes em Cristo, reconhecer que foi o Senhor que nos libertou do cativeiro do pecado e da condenação eterna (Ef 2.6; 4.8). Deus é a nossa vitória, por excelência (1 Co 15.57; Pv 21.31).

Em seu discurso, Josué fez duas sérias advertências aos filhos de Israel: (1) Deveriam lançar fora os deuses estranhos (v.23). (2) Não poderiam quebrar, em momento algum, o pacto feito com o Senhor, pois as consequências seriam desastrosas: "Se deixardes o Senhor e servirdes a deuses estranhos, então, se tornará, e vos fará mal..." (v.20). Sabemos que eles não cumpriram com a promessa, pois o povo só seguiu a Deus durante a liderança de Josué. Por três vezes o povo declarou: "Serviremos ao Senhor nosso Deus..." (v. 24).

 

SINOPSE DO TÓPICO (II)

 

Diante da retrospectiva feita por Josué e de sua exortação, o povo firmou um compromisso solene diante de Deus e do líder Josué.

 

III. UM MEMORIAL LEVANTADO

 

1. A pedra do testemunho. Josué fez daquela reunião pública uma ocasião solene. Ele "pôs por estatuto e direito... escreveu estas palavras no livro da Lei de Deus; e tomou uma grande pedra e a erigiu ali" (vv.25,26). Sua intenção era fazer com que o povo jamais se esquecesse do pacto firmado com o Senhor. "Esta pedra nos será por testemunho" (v.27). Em o Novo Testamento, os crentes são chamados de "pedras vivas", erguidas por e em união a Cristo, a preciosa pedra angular (1 Pe 2.4-6; Ef 2.19-22; 1 Co 3.9-16).

Josué também registrou o pacto por escrito. Ele não queria que nenhuma só palavra caísse no esquecimento.

Depois de erguer o memorial, o servo do Deus despediu o povo, cada um para sua herdade (v.28). Era hora de desfrutarem da herança que Deus lhes prometera.

2. A despedida de um líder (vv.29,30). Chegou o momento de Josué, um exemplo de homem de Deus, encerrar sua carreira. Ele iniciou seu ministério como "servo de Moisés" (1.1) e concluiu sua obra como "servo de Deus" (v.29). Nos dias atuais, poucos são os que aspiram à posição de servos. Se você deseja obter uma liderança forte e abençoada como a de Josué, siga atentamente seus passos - seja primeiramente servo. Esteja atento e pronto para realizar qualquer trabalho que Deus tenha para você. Faça a obra de Deus com humildade, compromisso e alegria: "Servi ao Senhor com alegria e apresentai-vos a ele com canto" (Sl 100.2). Jesus não veio ao mundo para ser servido, e sim, para servir e entregar sua vida pelos outros (Mt 20.26-28).

 

SINOPSE DO TÓPICO (III)

 

Josué iniciou seu ministério como "servo de Moisés" (1.1) e concluiu sua obra como "servo de Deus" (v.29).

 

CONCLUSÃO

 

Josué foi fiel ao chamado de Deus. Ajudou os israelitas a tomarem posse da Terra Prometida, orientando-os pacientemente à obediência e ao cumprimento de todos os desígnios divinos. Esse leal servo do Senhor combateu o bom combate, guardou a fé, e, aos 110 anos, encerrou seu abençoado ministério.

 

VOCABULÁRIO

 

Herdade: Grande propriedade rural, composta, em geral, de terras de semeadura, montados e casa de habitação.

 

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

 

PRICE, R. Arqueologia bíblica. RJ: CPAD, 2006.

 

EXERCÍCIOS

 

1. Assim como Josué, faça uma síntese da fidelidade de Deus em sua vida.

R. Resposta pessoal.

 

2. Descreva o solene juramento do povo.

R. Resposta em Josué 24.16.

 

3. Cite as duas advertências de Josué aos filhos de Israel.

R. Lançar fora os deuses estranhos e não quebrar o pacto com o Senhor.

 

4. Faça uma síntese da trajetória vitoriosa de Josué.

R. O aluno deverá recapitular a história de Josué.

 

5. Quais as principais lições que você aprendeu neste trimestre?

R. Resposta pessoal.

 

AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO

 

Subsídio Bibliológico

 

"Renovação da Aliança

O capítulo final do livro de Josué, relata uma cerimônia da renovação da aliança, realizada em Siquém durante um dos últimos anos de Josué. Um exemplo estabelecido no próprio Deuteronômio. Aqui está a última referência do relacionamento de Deus com Israel (vv.2-13). Sua declaração das exigências de Deus (vv.14,16,18,21,23-24). Seu apelo ao testemunho (vv.22,27) e sua recitação das bênçãos e maldições (vv.19-20). Quando o velho grande homem de Israel convoca seu povo a escolher a quem servirão, sentimos nossa própria necessidade de nova e constante devoção ao Senhor. Finalmente Josué morre (vv.28-33). Israel é estabelecido na terra, mas a visão severa do futuro que ele compartilhou em seu discurso de despedida (23.15,16) muito cedo acontecerá".

(RICHARDS, L. O. Guia do leitor da Bíblia. RJ: CPAD, 2005, p. 156.)

 

APLICAÇÃO PESSOAL

 

Se você deseja ser lembrado pelas obras sublimes e memoráveis como as de Josué, faça, agora, de sua vida um testemunho inabalável de fé, justiça e retidão. O que será dito de você amanhã está subordinado ao que você fará hoje. Seja um servo fiel, obedeça a Palavra do Senhor e faça de sua vida um memorial vivo do poder de Deus.

 

Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade. (2 Tm 2.15)