Lições Bíblicas CPAD

Jovens e Adultos

 

 

2º Trimestre de 2009

 

Título: 1 Coríntios - Os problemas da Igreja e suas soluções

Comentarista: Antonio Gilberto

 

 

Lição 10: Os dons espirituais

Data: 07 de Junho de 2009

 

TEXTO ÁUREO

 

"Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um para o que for útil" (1 Co 12.7).

 

VERDADE PRÁTICA

 

Cremos no batismo com o Espírito Santo e na atualidade dos dons espirituais.

 

LEITURA DIÁRIA

 

Segunda - Jl 2.28-31

A promessa do derramamento do Espírito

 

 

Terça - At 1.5; 2.1-4

A chama do Espírito foi acesa

 

 

Quarta - Rm 12.6

Diversidade de dons

 

 

Quinta - 1 Co 12.31; 13.1-8

Amor, o caminho mais excelente

 

 

Sexta - 1 Co 14.1

Procurai com zelo os dons espirituais

 

 

Sábado - 1 Co 14.1-4

O objetivo dos dons

 

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

 

1 Coríntios 12.1-11.

 

1 - Acerca dos dons espirituais, não quero, irmãos, que sejais ignorantes.

2 - Vós bem sabeis que éreis gentios, levados aos ídolos mudos, conforme éreis guiados.

3 - Portanto, vos quero fazer compreender que ninguém que fala pelo Espírito de Deus diz: Jesus é anátema! E ninguém pode dizer que Jesus é o Senhor, senão pelo Espírito Santo.

4 - Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo.

5 - E há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo.

6 - E há diversidade de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos.

7 - Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um para o que for útil.

8 - Porque a um, pelo Espírito, é dada a palavra da sabedoria; e a outro, pelo mesmo Espírito, a palavra da ciência;

9 - e a outro, pelo mesmo Espírito, a fé; e a outro, pelo mesmo Espírito, os dons de curar;

10 - e a outro, a operação de maravilhas; e a outro, a profecia; e a outro, o dom de discernir os espíritos; e a outro, a variedade de línguas; e a outro, a interpretação das línguas.

11 - Mas um só e o mesmo Espírito opera todas essas coisas, repartindo particularmente a cada um como quer.

 

INTERAÇÃO

 

Caro professor, aproveite a aula de hoje para refletir com seus alunos a respeito da operação dos dons espirituais na igreja contemporânea. Será que em nossas igrejas há, de fato, a manifestação de todos os dons espirituais? Temos observado além das línguas e profecia, os dons de fé, de curar e de operações de maravilhas?

Explique aos alunos que o Novo Testamento não menciona apenas nove dons. Para provar isto à classe, solicite aos alunos que leiam e anotem os dons que aparecem em Rm 12.6-8; 1 Co 12.8-10, 28-30; Ef 4.11. Todavia, lembre-os de que há vários dons mencionados noutras passagens da Bíblia. Depois da leitura, exclua aqueles que se repetem e reconte mais uma vez. O alunato perceberá que a lista de dons de 1 Coríntios não é exaustiva. Deus o abençoe e boa aula!

 

OBJETIVOS

 

Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:

  • Definir dons espirituais.
  • Exemplificar a atualidade da promessa dos dons.
  • Explicar o objetivo dos dons.

 

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

 

Utilize a explicação a seguir ao final do tópico I. Explique aos seus alunos os termos empregados por Paulo no capítulo 12 de 1 Coríntios para categorizar os dons espirituais: (v.4) charisma (ξαρισμα); (v.5) diakonia (διακονια); e (v.6) energēmatos (ενεργηματος). O primeiro (charisma) enfatiza que os dons são dádivas divinas. O segundo (diakonia) ressalta o propósito dos dons: servir ao povo de Deus. Já o terceiro está relacionado aos dons de poder, indicando a poderosa ação divina através dos servos de Cristo.

 

COMENTÁRIO

 

introdução

 

Palavra Chave

Dom espiritual: Dom proveniente da parte de Deus aos crentes mediante a operação do Espírito Santo.

 

No Credo das Assembléias de Deus no Brasil, acha-se mui explícita a crença nos dons concedidos pelo Espírito Santo: "Cremos na atualidade do batismo no Espírito Santo e dos dons espirituais". Através desta verdade, ressurgida na Rua Azusa em Los Angeles, no início do século passado, os pentecostais vêm anunciando o evangelho completo de nosso Senhor Jesus Cristo em todo o mundo: Jesus salva, cura, batiza com o Espírito Santo, concede dons, e vem outra vez.

 

I. O QUE SÃO OS DONS ESPIRITUAIS

 

Não importa o que dizem os descrentes, argumentando contra a atualidade e a realidade do batismo com o Espírito Santo e dos dons espirituais. A Bíblia, que é nossa suprema autoridade, além de ser clara sobre essa matéria de fé, é confirmada por incontáveis testemunhos, que ratificam a validade da promessa pentecostal.

1. Definição. Os dons espirituais são dotações e capacitações sobrenaturais que o Senhor Jesus, por intermédio do Espírito Santo, outorga à sua Igreja, visando a expansão universal da sua obra e a edificação dos santos. Por intermédio deles, segundo o Espírito, o crente fala, conhece e age sobrenaturalmente.

2. Origem. Ao contrário do que pensavam certos crentes de Corinto, os dons espirituais, embora diversos, são procedentes do Único e Verdadeiro Deus Triúno - o Espírito Santo (v.4), o Senhor Jesus (v.5), e Deus Pai (v.6). Antes acreditavam em diversos deuses (1 Co 8.5,6). Entretanto, foram eles ensinados, que há um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (2 Co 13.13).

 

SINOPSE DO TÓPICO (I)

 

Os dons espirituais são dotações e capacitações sobrenaturais que o Senhor Jesus, por intermédio do Espírito Santo, outorga à sua Igreja.

 

II. A ATUALIDADE DOS DONS ESPIRITUAIS

 

1. O falso ensino dos cessacionistas. Deduzem, erradamente, que os dons espirituais cessaram após a era apostólica, pois o Evangelho, de acordo com a geografia daqueles dias, já havia chegado aos confins da terra (At 1.8; 13.47). A Bíblia anula esse falso ensino. Interpretando equivocadamente as Escrituras, eles citam 1 Coríntios 13.8: "mas, havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão (...)". Eles se esquecem do versículo 10 que afirma: "Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado". Todavia, essa "era perfeita" ainda não começou; quando chegar, "então, veremos face a face" (v.12).

2. Os dons prometidos profética e historicamente. De conformidade com a profecia de Joel, o derramamento do Espírito Santo e a distribuição dos dons espirituais, seriam mais intensos nos últimos tempos (Jl 2.28,29). Em Jerusalém, no Dia de Pentecostes, esta profecia cumpriu-se parcialmente (At 2.16-18). Desde então continua a cumprir-se onde quer que o evangelho seja ouvido e crido.

Em nossos dias, o derramamento do Espírito recomeçou em 1906, na Rua Azusa, em Los Angeles, Califórnia, Estados Unidos da América, sob a liderança de William Joseph Seymour (1870-1922). Este pastor era metodista, oriundo do Movimento da Santidade, e filho de pais batistas de origem africana. Desde então, o pentecostalismo expandiu-se, chegando ao Brasil em 1910. No momento, a Assembléia de Deus no Brasil já começa a comemorar o seu primeiro centenário, que teve início em 1911.

 

SINOPSE DO TÓPICO (II)

 

Os dons espirituais não cessaram após a era apostólica.

 

III. OBJETIVOS DOS DONS ESPIRITUAIS

 

Deus concede dons primeiramente para a edificação da igreja, mas também para o progresso do crente (1 Co 14.1-4). Os dons espirituais seguem-se ao batismo com o Espírito Santo: "e falavam línguas e profetizavam" (At 19.6). Não o contrário.

1. Objetivos congregacionais. Os dons espirituais, principalmente os de expressão verbal, visam à edificação, consolação e exortação do povo de Deus. O capítulo 14 de 1 Coríntios discorre amplamente sobre o assunto. O termo "edificar" é ali empregado constantemente.

2. Objetivos individuais. Os dons espirituais não devem ser usados para o nosso deleite, mas para o enriquecimento de nossa vida cristã: "O que fala língua estranha edifica-se a si mesmo, mas o que profetiza edifica a igreja" (1 Co 14.4). Quando alguém é batizado com o Espírito Santo e fala em línguas, em seu espírito ora, exalta e louva a Deus secretamente. É um relacionamento íntimo entre o salvo e Deus. Ninguém o entende, a não ser Deus (1 Co 14.2).

 

SINOPSE DO TÓPICO (III)

 

Os dons espirituais visam à edificação, consolação e exortação do povo de Deus e também o enriquecimento da vida espiritual de seu portador.

 

IV. OS DONS DE MANIFESTAÇÃO VERBAL

 

Os dons de expressão verbal são os mais destacados na igreja. Ocupam o maior espaço no capítulo em estudo, o qual trata primariamente da operação dos dons "decentemente e com ordem" (v.40). Esses dons se manifestam sobrenaturalmente através de mensagens orais, segundo a orientação do Espírito Santo.

1. Dom de variedade de línguas. Através do dom de variedade de línguas, os crentes, em espírito, oram, adoram e louvam a Deus de modo sobrenatural. É uma comunicação direta com Deus, mediante o Espírito Santo, sem quaisquer impedimentos (1 Co 14.2).

2. Dom de interpretação de línguas. É evidente que este dom opera juntamente com o dom anterior, formando ambos uma profecia (vv.5,13,27,28).

3. Dom de profecia. A profecia, como dom de expressão verbal, é enunciada claramente no idioma de quem a profere, "para edificação, exortação e consolação" de todos (v.3). O dom de profecia, hoje, não tem a mesma autoridade canônica das Escrituras (2 Pe 1.20), que são infalíveis. A profecia atual deve ser julgada (1 Co 14.29).

 

SINOPSE DO TÓPICO (IV)

 

A variedade e a interpretação de línguas e a profecia são dons de manifestação verbal.

 

V. OS DONS DE SABER

 

Por intermédio dos dons de saber, a Igreja de Cristo manifesta sabedoria, ciência e discernimento sobrenaturais. Eles são de grande necessidade aos santos, habilitando-os a entenderem muito mais e a combaterem os espíritos do erro e suas artimanhas por toda parte. Considere-se a proliferação, inclusive dentro das igrejas, de falsas doutrinas, de imitação dos dons, de modernismos teológicos, de inovações antibíblicas, de falsos avivalistas, de "milagreiros" ambulantes, etc.

1. O dom da palavra da sabedoria (1 Co 12.8). É o saber extraordinário e sobrenatural, outorgado diretamente pelo Espírito. O profeta Daniel tinha deste dom, segundo relata o escritor sagrado (Dn 1.17; 5.11,12; 10.1).

2. O dom da palavra da ciência (v.8). Este dom provê um conhecimento extraordinário e sobrenatural. Ele certamente operava nos profetas Eliseu (2 Rs 5.25,26) e Aías (1 Rs 14.1-8).

3. O dom de discernir os espíritos (v.10). É a identificação sobrenatural de operações de espíritos quanto à sua origem e intenções: espíritos enganadores, demoníacos e humanos. É um dom defensivo que evita que sejamos enganados pelo adversário. Paulo tinha o dom de discernimento de espíritos (At 16.16-18).

 

SINOPSE DO TÓPICO (V)

 

Os dons de saber são: Palavra da sabedoria, palavra da ciência e discernimento dos espíritos.

 

VI. OS DONS DE PODER

 

Mediante os dons de poder, a autoridade e o poder divinos manifestam-se no crente de maneira sobrenatural sobre o mundo físico. Esses dons são: Fé, Curas, e Operação de Maravilhas.

1. Dom da fé (v.9). É a operação sobrenatural da fé para a realização de coisas tidas como impossíveis na expansão do Reino de Deus. O profeta Elias tinha o dom da fé segundo o relato de 1 Reis 1.10-12.

2. Os dons de curar (v.9). São um dom plural na sua constituição e operação. A palavra "curar" está no plural no texto grego, indicando diferentes "curas" para vários tipos de moléstias ou enfermidades.

3. Dom de operação de maravilhas (v.10). Estes dois vocábulos que designam este dom, no original, estão no plural. São operações de milagres extraordinários, surpreendentes e espantosos para levar os incrédulos à conversão; convencer os céticos e fortalecer os crentes fracos e duvidosos quanto à suficiência infinita de Deus. Ver Jo 6; At 8.6,13; 19.11; Js 10.12-14. Moisés, Elias, Eliseu, Paulo, e inúmeros outros servos de Deus tinham esse dom.

 

SINOPSE DO TÓPICO (VI)

 

Os dons de poder são: Fé, curas, e operação de maravilhas.

 

CONCLUSÃO

 

Todos os dons espirituais são necessários e imprescindíveis tanto para a Igreja como um todo como para os seus membros em particular. Por isso, devemos buscar com zelo os dons espirituais. Afinal, eles são uma grandiosa dádiva da graça divina ao nosso dispor.

 

VOCABULÁRIO

 

Antibíblico: Contrário à Bíblia.

Imprescindível: Indispensável; que não se pode pôr de lado.

Outorgar: Dar, conceder.

 

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

 

STRONSTAD, R.; ARRINGTON, F. L. (orgs.) Comentário Bíblico Pentecostal. RJ: CPAD, 2004.

Bíblia de Estudo Pentecostal. RJ: CPAD, 2002.

 

EXERCÍCIOS

 

1. Defina os dons espirituais.

R. Os dons espirituais são dotações e capacitações sobrenaturais que o Senhor Jesus, por intermédio do Espírito Santo, outorga à sua Igreja.

 

2. Descreva o reavivamento pentecostal na Rua Azusa.

R. Sob a liderança de William Joseph Seymour (1870-1922), pastor metodista, oriundo do Movimento da Santidade. Desde então, o pentecostalismo expandiu-se, chegando ao Brasil em 1910.

 

3. Quais os propósitos dos dons espirituais?

R. Os dons espirituais visam à edificação, consolação e exortação do povo de Deus e também o enriquecimento da vida espiritual de seu portador.

 

4. Cite os dons de manifestação verbal.

R. A variedade e a interpretação de línguas e a profecia são dons de manifestação verbal.

 

5. Cite os dons de saber e poder.

R. Os dons de saber são: Palavra da sabedoria, palavra da ciência e discernimento dos espíritos. Já os de poder são: Fé, Curas, e Operação de Maravilhas.

 

AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO

 

Subsídio Doutrinário

 

"Amor

O grandioso capítulo do Amor da Bíblia Sagrada não é uma digressão, nem tampouco uma interpolação de uma composição já existente, escrita por Paulo ou por outra pessoa, na discussão dos dons espirituais. Suas referências aos vários dons espirituais teriam feito pouco sentido se já existissem isoladamente. Isto é, sua menção de línguas, profecias, mistérios, ciência, e fé, indicam que foi escrito para esta ocasião específica e que formou uma ponte necessária entre a existência dos dons (cap.12) e sua operação (cap.14).

Várias notas preliminares estão em ordem:

A palavra para amor, ágape não era comumente usada antes do primeiro século. Os escritores do Novo Testamento, porém, apresentam-na como a principal virtude de um cristão. Consta aproximadamente 115 vezes no Novo Testamento.

O amor não é um dom espiritual, como aqueles que Paulo discute neste contexto e em outras passagens. É, antes, uma virtude, um aspecto do fruto do Espírito (Gl 5.22,23). 'O amor não é um charisma [dom], mas um completo modo de vida' (Carson,57).

A essência do amor é a doação sacrificial de si mesmo, às vezes a favor de algo ou alguém que não o merece. Os exemplos supremos são o próprio Deus (Jo 3.16) e Jesus (Ef 5.25)".

(STRONSTAD, R.; ARRINGTON, F. L. (orgs.) Comentário Bíblico Pentecostal. RJ: CPAD, 2004, p.1020.)

 

APLICAÇÃO PESSOAL

 

É possível uma igreja com a presença de tantos dons ser considerada carnal? Sim, é possível, pois a igreja de Corinto é a maior prova disso (1 Co 3.1,3,4). É preciso que tomemos muito cuidado para não classificar irmãos que possuem dons espirituais como "irmãos muito espirituais". Infelizmente é comum medirmos o grau de espiritualidade de um crente pela quantidade de dons que ele possui ou pelo fato de ele "ser muito usado por Deus". Entretanto, a Bíblia nos mostra o caminho mais excelente: o amor. Não é por acaso que Paulo associa dons, amor e Corpo de Cristo num mesmo tratado. Uma igreja pode reunir todos os dons espirituais, no entanto, se não tiver amor, ela não terá utilidade nenhuma no Reino de Deus (1 Co 13.3).

 

Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade. (2Tm 2.15)