Lições Bíblicas CPAD

Jovens

 

 

1º Trimestre de 2015

 

Título: Eu Creio — Revelando ao mundo suas convicções cristãs

Comentarista: Alexandre Claudino Coelho

 

 

Lição 8: Eu creio na Igreja de Cristo

Data: 22 de Fevereiro de 2015

 

TEXTO DO DIA

 

Olhai, pois, por vós e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue(At 20.28).

 

SÍNTESE

 

Deus preparou a Igreja como a Noiva do Cordeiro, e um ambiente em que os santos do Senhor possam viver em comunhão.

 

AGENDA DE LEITURA

 

SEGUNDA

Formada por pessoas santas (Fp 1.1)

 

 

TERÇA

Um grupo de pessoas que ora (At 12.5)

 

 

QUARTA

Um grupo de pessoas que jejua (At 13.2)

 

 

QUINTA

Havia igrejas em casas (Fm v.2)

 

 

SEXTA

Edificada por Cristo (Mt 16.18)

 

 

SÁBADO

Jesus é o cabeça da Igreja (Ef 1.22)

 

OBJETIVOS

 

  • CONSCIENTIZAR-SE do papel da igreja na sociedade atual.
  • COMPREENDER os propósitos da igreja.
  • RECONHECER a relevância da igreja na sociedade do século XXI.

 

INTERAÇÃO

 

Prezado professor, o enfoque da lição de hoje é a respeito da Igreja de Cristo. A igreja não é uma empresa ou organização humana, ela não tem um dono. Seu único senhor é Jesus Cristo. É importante enfatizar aos alunos que nós somos a Igreja. Ela é a reunião de todos aqueles que um dia aceitaram a Jesus como seu Salvador, independentemente da denominação a que pertençam. Todos na Igreja são importantes e devem trabalhar para que a missão que foi entregue por Jesus, a grande comissão, venha ser cumprida.

 

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

 

Professor, para introduzir a lição, faça a seguinte indagação: “Qual o papel da igreja na sociedade atual?”. Ouça os alunos, incentive a participação de todos e explique que a missão principal da igreja é evangelizar e discipular (ensinar). Esta é a primeira ordenança de Jesus para a sua Igreja. Em seguida, peça que leiam Mateus 28.19,20. A Igreja tem uma missão que foi outorgada por Cristo. Ao ascender aos céus, Jesus concedeu à sua Igreja poder para que ela cumpra a sua missão neste mundo que jaz no maligno. A Igreja precisa, até a volta de Cristo, agir como “sal” e “luz” deste mundo (Mt 5.13). Como Igreja, temos a função de conservar e influenciar o mundo.

 

TEXTO BÍBLICO

 

Mateus 16.13-18; 1 Pedro 2.9,10.

 

Mateus 16

13 - E, chegando Jesus às partes de Cesareia de Filipe, interrogou os seus discípulos, dizendo: Quem dizem os homens ser o Filho do Homem?

14 - E eles disseram: Uns, João Batista; outros, Elias, e outros, Jeremias ou um dos profetas.

15 - Disse-lhes ele: E vós, quem dizeis que eu sou?

16 - E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.

17 - E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue quem to revelou, mas meu Pai, que está nos céus.

18 - Pois também eu te digo que tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.

 

1 Pedro 2

9 - Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz;

10 - vós que, em outro tempo, não éreis povo, mas, agora, sois povo de Deus; que não tínheis alcançado misericórdia, mas, agora, alcançastes misericórdia.

 

COMENTÁRIO DA LIÇÃO

 

INTRODUÇÃO

 

Hoje estudaremos a respeito da Igreja de Cristo. Esse estudo faz parte da teologia, na esfera da eclesiologia. A Igreja é composta pelas pessoas que um dia aceitaram a Jesus como seu Salvador e Senhor, que buscam obedecer à grande comissão de fazer discípulos em todos os povos e adorar a Deus, obedecendo-lhe a vontade e transmitindo os ensinos da Bíblia a todas as pessoas.

 

I. A IGREJA E O SEU PAPEL NA SOCIEDADE ATUAL (Mt 16.18; 1Co 10.32; At 2)

 

1. O que é a igreja. A Igreja é uma comunidade de pessoas que, pela fé, aceitaram a Jesus Cristo como seu Salvador e Senhor. Ela é composta por pessoas de diversas etnias, línguas, idades e classes sociais, mas aos olhos de Deus é um só povo (Gl 3.28). É uma comunidade de pessoas santificadas em Cristo. Na língua grega, a palavra ekklesia dá a ideia de um grupo de pessoas reunidas em um objetivo comum e específico. Em outro sentido, a igreja é também o santuário, o templo em que as pessoas se reúnem para prestar seu culto.

2. Como a Igreja se originou. A Igreja de Cristo se originou após Jesus ser assunto aos céus. No dia de Pentecostes, quando os discípulos do Senhor se reuniram para orar em um cenáculo, foram cheios do Espírito Santo, dando origem a um grupo de pessoas que, a partir daquele momento, iriam testemunhar de Jesus a todas as pessoas. Cheios do Espírito Santo, começaram a falar de Jesus e se agruparam como uma verdadeira comunidade de santos homens e mulheres de Deus.

3. O que o Novo Testamento fala sobre a Igreja. O Novo Testamento diz que a Igreja é a noiva do Senhor (Ap 21.2), aquela que lhe está prometida. Ela foi comprada com o sangue de Cristo, e seus obreiros devem buscar mantê-la a salvo das heresias e doutrinas de demônios, que podem fazer desviar seus membros (At 20.28). Fala também que na igreja reuniram-se pessoas de diversos grupos em prol de um único objetivo: adorar a Deus.

 

 

Pense!

 

A igreja de Jesus não é uma empresa, mas uma comunidade onde as pessoas se reúnem para adorar a Deus.

 

 

Ponto Importante

 

A igreja não é uma invenção humana, mas uma instituição criada por Deus.

 

 

II. O PROPÓSITO DA IGREJA (Jo 17.22; Mt 12.25)

 

1. A Igreja de Cristo. A Igreja de Cristo é universal, ou seja, composta de todas as pessoas verdadeiramente convertidas, independentemente de sua denominação, que creram no Evangelho de Jesus. Essa Igreja existe desde o dia de Pentecostes, e permanecerá firme até o momento em que Jesus voltar, em sua segunda vinda. Qualquer pessoa que aceitou a Jesus pela fé se torna membro dessa Igreja.

A Igreja tem como ordenanças o Batismo e a Santa Ceia.

2. A igreja local. A igreja local é composta por todas as pessoas crentes que, em uma determinada localidade, se reúnem para adorar a Deus e são equipadas para o serviço cristão. Geralmente a igreja local possui um nome ou denominação, e qualquer pessoa que tenha aceitado a Jesus como seu Salvador pode participar dela, desde que se submeta a alguma exigência específica, como o batismo, e a participação em um grupo de discipulado, a fim de que conheça as doutrinas básicas e costumes daquela denominação.

3. Os propósitos da Igreja. A Igreja do Senhor tem como objetivo a evangelização, o ensino e a comunhão. Na evangelização, ela transmite, por meio da pregação e do evangelismo, as Boas Novas do Evangelho aos que não conhecem a Jesus. No ensino, ela repassa aos presentes e à próxima geração as verdades da Palavra de Deus, fortalecendo seus membros de forma que eles consigam viver o que aprenderam. A Igreja é também a voz profética de Deus nestes últimos dias. Ela tem o dever de denunciar o pecado e cobrar mudança de vida por meio de uma conduta santa e que agrade a Deus.

 

 

Pense!

 

A Igreja é a voz profética de Deus no mundo.

 

 

Ponto Importante

 

A Igreja não pode se calar frente ao pecado e às mazelas espirituais e sociais de nossa sociedade.

 

 

III. A IGREJA NO SÉCULO XXI

 

1. Os líderes da igreja. A Igreja de Cristo está sujeita ao Senhor e à Palavra de Deus, e também aos líderes que Deus deixou para que fisicamente levassem a obra de Deus adiante. Esses líderes ou ministros são pessoas a quem Deus escolhe para pregar, cuidar dos recursos da igreja, prestar a assistência necessária na esfera social da congregação. Em geral, nas igrejas há diáconos, presbíteros e pastores, cada um exercendo uma função específica, a fim de edificar a igreja.

2. Os “desigrejados”. Tem sido comum em diversos países pessoas afastarem-se da igreja e ao mesmo tempo tentarem manter-se cristãs. Tais pessoas alegam que a igreja local as afastou da comunhão, e que não precisam conviver com outros cristãos. Os motivos alegados são diversos. Sobre esse assunto, precisamos entender que nenhum lugar onde congreguemos vai ser perfeito, sem problemas. Quando examinamos as cartas do Novo Testamento, veremos que as igrejas possuíam cada uma os seus problemas específicos, mas em nenhuma carta vemos orientação para que as pessoas se afastem da Igreja e desprezem a comunhão com outros irmãos (Hb 10.24,25). Em nenhum momento a Palavra de Deus nos orienta a que vejamos as limitações da igreja local mas sim que possamos considerar uns aos outros, e não abandonar a comunhão que existe na igreja local.

3. Por que temos tantas denominações? A igreja evangélica possui diversos grupos, que se vinculam por meio de finalidades específicas, como forma de culto, forma de gestão eclesiástica, teologia ou costumes. Há grupos em alguns países que se juntam em comunidades fechadas, como a igreja perseguida nos países orientais.

Cada denominação tem seus próprios costumes, e essa diversidade de denominações não indica que existe divisão de igrejas, e sim variedade. Há igrejas étnicas, composta de pessoas de nacionalidades bem específicas, e que se reúnem em outro país, o que agrega o convívio social do grupo. Essa gama de denominações não representa uma divisão ou discordância, e sim uma forma de Deus manifestar sua graça de diversas formas a diversos grupos diferentes.

 

 

Pense!

 

Há diversos grupos de pessoas, e Deus pode ser conhecido por cada grupo por meio de uma igreja que atue biblicamente.

 

 

Ponto Importante

 

A Igreja somos nós. Como seres humanos, temos falhas, erros e limitações, mas Deus é perfeito, poderoso e jamais nos decepciona.

 

 

CONCLUSÃO

 

A igreja de Cristo foi comprada pelo sangue de Jesus, e não pertence a homem algum. Nela estão os salvos em Cristo, as pessoas que se arrependeram de seus pecados e foram feitas novas criaturas e são orientadas pelo Espírito Santo. Como instituição, a Igreja tem como propósitos manifestar o poder de Deus e pregar o evangelho.

 

ESTANTE DO PROFESSOR

 

ANDRADE, Claudionor. Verdades Centrais da Fé Cristã.
CIDACO, José A. Um Grito pela Vida da Igreja.

 

HORA DA REVISÃO

 

1. O que é a Igreja?

A Igreja é uma comunidade de pessoas que, pela fé, aceitaram a Jesus Cristo como seu Salvador e Senhor.

 

2. Como a Igreja se originou?

A Igreja de Cristo se originou após Jesus ser assunto aos céus, no dia de Pentecostes, quando os discípulos do Senhor se reuniram para orar em um cenáculo.

 

3. Quais são os propósitos da Igreja?

A Igreja do Senhor tem como objetivo a evangelização, o ensino e a comunhão.

 

4. Quem são os “desigrejados”?

São pessoas que se afastaram da igreja, mas ao mesmo tempo tentam manter-se cristãos.

 

5. O que você diria a um “desigrejado” a respeito da Igreja de Cristo?

Resposta pessoal.

 

SUBSÍDIO

 

“NOSSA MISSÃO COMO IGREJA

Precisamos começar perguntando mais uma vez: ‘Qual a nossa missão como igreja?’. A resposta está em reconhecer que somos o corpo de Cristo. Portanto, deviamos estar fazendo o que Ele fez na terra. A evangelização do mundo, portanto, tem de ser a missão, o objetivo norteador da Igreja, pois era a meta central do nosso Senhor — a única razão pela qual o Filho eterno, despojando-se de suas vestes de glória, assumiu nossa forma. Ele veio para ‘buscar e salvar o que se havia perdido’ (Lc 19.10) — ‘não veio para ser servido, mas para servir; e para dar a sua vida em resgate de muitos’ (Mt 20.28).

Uma senhora, num grupo de turistas que visitava o Mosteiro de Westminster, pinçou exatamente o problema. Voltando-se para o guia, perguntou-lhe: ’Moço, moço! Pare um pouco essa conversa, e me responda: Será que alguém aqui foi salvo aqui por esses dias?’. Um estranho silêncio recaiu sobre o grupo de turistas assustados e, quem sabe, já embaraçados. Salvo no Mosteiro de Westminster? Porque não? Não é essa a função da igreja? Uma igreja que esteja descobrindo o entusiasmo do avivamento saberá disso, e estará em atividade, procurando ganhar os perdidos. O avivamento e a evangelização, embora diferentes quanto à natureza, brotam da mesma fonte e fluem juntos. Uma igreja que não sai para o mundo anunciando as verdades do Reino não reconheceria o avivamento, mesmo que este viesse” (COLEMAN, Robert. Como Avivar sua Igreja. 15ª Edição. RJ: CPAD, 2005, pp.87-8).

 

 

Caro professor, “aprendizes pragmáticos gostam de brincar com ideias para ver se elas são racionais e funcionais. Esses alunos testam a teoria no mundo real para aplicar o que aprenderam. Eles amam ver o trabalho realizado. São pessoas que põem mãos à obra. Usando suas próprias ideias, podem analisar problemas e esclarecê-los ou solucioná-los. Alunos pragmáticos, como o nome já diz, sobressaem quando lidam com o que é prático e de importância imediata para eles. Aprendem melhor quando aprender é combinado com fazer. Concordariam que Jesus ‘não foi um milagre sem suor, mas um Salvador que trabalhou duro’. Até perto do fim do século dezesseis, ‘fé’ era uma palavra, que, em inglês, designava ação. Para o aprendiz pragmático, ainda é” (LEFEVER, Marlene, Estilos de Aprendizagem: Como Alcançar cada um que Deus lhe Confiou para Ensinar. 2ª Edição. RJ: CPAD. 2005, p.19).