Lições Bíblicas CPAD

Adultos

 

 

1º Trimestre de 2016

 

Título: O final de todas as coisas — Esperança e glória para os salvos

Comentarista: Elinaldo Renovato

 

 

Lição 6: O Tribunal de Cristo e os galardões

Data: 7 de Fevereiro de 2016

 

 

TEXTO ÁUREO

 

Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem ou mal(2Co 5.10).

 

VERDADE PRÁTICA

 

Todos os crentes deverão comparecer diante do Tribunal de Cristo para que cada um receba a sua recompensa.

 

LEITURA DIÁRIA

 

Segunda — Mt 12.37

Seremos justificados ou condenados mediante as nossas palavras

 

 

Terça — Rm 8.1

Não há condenação para aqueles que estão em Jesus Cristo

 

 

Quarta — 2Tm 4.8

O justo Juiz dará a coroa da justiça a todos que amarem a sua vinda

 

 

Quinta — Ef 2.10

O crente foi gerado em Jesus Cristo para realizar as boas obras

 

 

Sexta — Mt 5.16

A nossa luz deve resplandecer diante dos homens

 

 

Sábado — Ap 22.12

Em breve Jesus virá e dará galardão a todos aqueles que foram fiéis

 

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

 

1 Coríntios 3.11-15.

 

11 — Porque ninguém pode pôr outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo.

12 — E, se alguém sobre este fundamento formar um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha,

13 — a obra de cada um se manifestará; na verdade, o Dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta; e o fogo provará qual seja a obra de cada um.

14 — Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão.

15 — Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo.

 

HINOS SUGERIDOS

 

157, 286 e 547 da Harpa Cristã.

 

OBJETIVO GERAL

 

Mostrar que todos os crentes vão comparecer diante do Tribunal de Cristo para serem recompensados por suas obras.

 

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

 

 

Abaixo, os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com os seus respectivos subtópicos.

 

  • I. Saber que todos os salvos vão estar perante o Tribunal de Cristo para serem galardoados;
  • II. Explicar como Cristo vai julgar as nossas obras;
  • III. Compreender que chegará o dia em que teremos de prestar contas a Jesus das nossas ações.

 

INTERAGINDO COM O PROFESSOR

 

Servir a Deus é um grande privilégio e muitos têm dedicado toda a sua vida ao serviço do Mestre. Na seara do Senhor, enfrentamos lutas, decepções, frustrações, toda a sorte de intempéries, mas vai valer à pena. No grande Dia do Senhor, seremos recompensados com os lauréis e os galardões. A Palavra de Deus nos mostra que as obras de muitos crentes perecerão quando forem provadas pelo fogo do Senhor. Deus conhece a intenção dos corações. Podemos enganar aos homens, mas não ao Eterno. Muitos fazem a obra de Deus buscando a glória para si, logo, já tiveram a sua recompensa.

Que possamos realizar a obra de Deus com alegria, amor, fazendo tudo de coração, para a glória do Pai e não para ser visto pelos homens.

 

COMENTÁRIO

 

INTRODUÇÃO

 

Na lição de hoje estudaremos acerca do Tribunal de Cristo e dos galardões. Todos os crentes terão que comparecer a este tribunal, porém não se trata do Juízo final, que será instaurado para o julgamento dos ímpios (Ap 20.11-15), mas será um tribunal para julgar as obras e os atos dos crentes, recompensando-os, ou não, pelo que fizeram em sua vida. Neste Tribunal, todos os fiéis em Cristo serão galardoados com justiça.

 

 

PONTO CENTRAL

 

Nossas obras serão provadas pelo Senhor e se passarem pelo seu crivo, seremos recompensados.

 

 

I. O TRIBUNAL DE CRISTO E OS CRENTES

 

1. O julgamento. Todos os crentes, já transformados e com um corpo incorruptível, vão comparecer perante o Tribunal de Cristo (cf. 2Co 5.10; 1Co 1.8). Não se trata de julgamento de pecados, pois os que serão julgados já são salvos. Os ímpios é que passarão pelo julgamento de suas obras e pecados, no juízo do Trono Branco, após o Milênio (cf. Ap 20.11-15). Os salvos em Cristo Jesus, desde que permaneçam fiéis, em santidade, não mais passarão por qualquer tipo de condenação: “Portanto, agora, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o espírito” (Rm 8.1). Estar “em Cristo Jesus” é a condição indispensável para ter sido salvo e permanecer salvo. Neste tribunal serão julgadas as obras dos salvos que foram praticadas na Terra, a fim de que recebam, ou não, o galardão (Ap 22.12).

2. Quando se dará? Segundo Eurico Bergstén, acontecerá no dia em que Jesus voltar. O Salvador voltará e trará o seu galardão consigo (Ap 22.12). Naquele grande dia, todos os crentes que permaneceram fiéis ao Senhor, servindo a Ele com integridade, receberão a sua recompensa. Paulo foi um servo que sofreu muitas tribulações (naufrágio, cadeias, fome, nudez) em favor do Reino de Deus, porém ele esperava o dia em que receberia a sua coroa (recompensa). Ele afirmou que “naquele dia” receberia “a coroa da justiça” que lhe havia sido reservada (cf. 2Tm 4.8). Não desanime diante das dificuldades enfrentadas neste mundo, pois em breve Jesus virá e recompensará todo o seu trabalho. Esta é a melhor recompensa que um servo ou uma serva de Deus pode receber.

3. Quem será o juiz? Não temos dúvida e podemos afirmar, segundo a Palavra de Deus, que o juiz será nosso Senhor Jesus Cristo (2Tm 4.8). O Pai entregou a Jesus todo o juízo (cf. Jo 5.22). Somente Deus e o seu Filho, no Universo, têm o direito legítimo de julgar os homens. Queira ou não, ninguém escapará da justiça do Todo-Poderoso (Is 43.13).

 

 

SÍNTESE DO TÓPICO (I)

 

Todos os crentes passarão pelo tribunal de Cristo.

 

 

SUBSÍDIO ESCATOLÓGICO

 

“As Escrituras ensinam que todos os membros da raça humana são responsáveis perante Deus (Jr 17.10; 32.19). Deus julgará tanto crentes quanto ímpios. O julgamento dos ímpios será diante do Grande Trono Branco — um evento descrito em Apocalipse 20.15, o qual ocorre após o reino milenial de Cristo. Este é o último julgamento antes da eternidade futura. Em 2 Coríntios 5.10, Paulo fala sobre o julgamento de todos os crentes: ‘Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo tiver feito por meio do corpo, ou bem ou mal’.

O fato de todos serem julgados demonstrará a justiça de Deus perante todas as criaturas. A salvação de alguns será a maior demonstração da graça de Deus que o mundo já viu. O julgamento dos ímpios ratificará seu desprezo pela salvação oferecida por Deus em seu Filho, resultando em condenação eterna” (LAHAYE, Tim. Enciclopédia Popular de Profecia Bíblica. 1ª Edição. RJ: CPAD, 2008, p.462).

 

 

 

 

II. AS OBRAS DO CRENTE E O JULGAMENTO DE CRISTO

 

1. A precisão do julgamento. O julgamento será preciso, pois passará pelo crivo do Senhor Jesus Cristo. Muitos fazem a obra de Deus e praticam boas ações apenas para serem vistos pelos homens. Estes buscam satisfazer seus interesses pessoais, buscam seus próprios galardões. Mas a Palavra de Deus diz que todas as obras serão provadas pelo fogo. O fogo divino vai purificar e revelar qual é a verdadeira intenção do coração.

2. Ouro, prata e pedras preciosas. Na Bíblia, o ouro simboliza aquilo que procede de Deus, as coisas divinas (Jó 22.23-25; Ap 3.18). Podemos comparar o ouro às obras que os crentes fizeram para a glória de Deus (1Co 10.31). Obras praticadas por crentes que têm um espírito quebrantado e contrito. Estas foram “feitas em Deus” (Jo 3.21), ou seja, em parceria, comunhão com o Senhor. Quando usamos bem os talentos dados por Deus, realizamos obras “de ouro” (Mt 25.14,20). São obras que glorificam não o nosso nome ou ministério, mas a Deus (Mt 5.16).

Na tipologia bíblica, a prata é símbolo de redenção. No Antigo Testamento, a redenção dos filhos de Israel era paga em prata (Êx 30.11-16; Lv 5.15). No Novo Testamento, simboliza a redenção feita por Cristo (1Pe 1.18; 1Co 6.20).

As pedras preciosas são símbolos do Espírito Santo, ou da glória de Cristo no crente (Jo 17.22). Os crentes que possuem os dons espirituais têm o adorno do Espírito Santo. São obras feitas pelo poder do Espírito Santo (Fp 3.3; Tt 3.5).

3. As obras que perecerão. “Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo” (1Co 3.15). Esse texto mostra que haverá crentes cujas obras não subsistirão quando passarem pelo crivo do fogo divino. Observe:

a) Madeira. Na Bíblia, madeira é símbolo das coisas humanas. É uma figura da árvore, que cresce por si mesma. Há crentes que fazem muitas coisas, mas buscando a glória humana. No fogo do julgamento, elas vão desaparecer. Há quem trabalhe muito na igreja, mas não o faz para a glória de Deus (1Co 10.31). Madeira não resiste ao fogo.

b) Feno. Feno é capim, erva seca. São obras aparentes, mas sem consistência, sem vida, tais como erva seca (Is 15.6). O capim é perecível (Is 51.12) e representa as obras dos crentes que trabalham somente buscando a glória e a fama para si. Infelizmente, nos dias atuais, há muitos pregadores e cantores que só realizam a obra de Deus pelo dinheiro ou se o evento tiver destaque na mídia. Estes “já receberam o seu galardão”, aqui mesmo (cf. Mt 6.2,5,16).

c) Palha. A madeira tem certa consistência, mas a palha é muito fraca. Não resiste a força do fogo. O vento a leva com facilidade (Sl 1.4; Jó 21.18; Os 13.3). É instável. Não pode se misturar com o trigo (Jr 23.28); palha representa obras sem firmeza, ou seja, feita por crentes que são inconstantes. Muitos vivem mudando de igreja, de costume, de crenças, etc. São levados, como a palha, por “todo vento de doutrina” (Ef 4.14).

 

 

SÍNTESE DO TÓPICO (II)

 

As obras dos crentes serão julgadas pelo Justo Juiz.

 

 

SUBSÍDIO BIBLIOLÓGICO

 

“O propósito do julgamento dos crentes diante do Tribunal de Cristo é determinar se as obras de cada um foram dignas ou não. O julgamento é apenas para os crentes, de modo que, ainda sofram danos, estes serão salvos. Além disso, aqueles que ali forem julgados terão firmado suas vidas na Rocha, que é o próprio Jesus Cristo (1Co 3.11,12). O Senhor avaliará as obras dos crentes ao longo de toda a vida. Uma vez que fomos separados para as boas obras que Deus preparou para os crentes (Ef 2.10), deveríamos esperar que Ele examinasse a fidelidade de nossas ações” (LAHAYE, Tim. Enciclopédia Popular de Profecia Bíblica. 1ª Edição. RJ: CPAD, 2008, pp.463,464).

 

 

III. A PRESTAÇÃO DE CONTAS DO CRENTE E OS GALARDÕES

 

Galardões são prêmios. Lauréis a que o crente fez jus, pois desempenhou bem a função para qual foi vocacionado no Reino de Deus.

1. Os pastores darão conta dos seus rebanhos. Ser pastor é um grande privilégio, mas também uma responsabilidade muito grande. Sabemos que a salvação é individual, mas aqueles que servem ao Senhor como pastores, um dia, terão que prestar contas ao Sumo Pastor. O profeta Ezequiel, criticou os líderes (pastores) de Israel por cuidarem de si mesmos, ao invés de cuidarem das ovelhas do Senhor. Leia Ezequiel 34. O profeta não se calou diante do erro dos líderes do seu povo, mas com coragem e ousadia, apontou o pecado e pronunciou o julgamento divino (Ez 34.7-10).

O Senhor dará a justa recompensa a cada pastor pelo seu trabalho. Muitos tem se desgastado fisica e emocionalmente em favor das ovelhas do Senhor. São incansáveis na pregação, no ensino da Palavra, visitando e cuidando de cada ovelha com muito carinho e zelo, seguindo o exemplo do Bom Pastor (Jo 10.10). Estes receberão o justo galardão pelo trabalho realizado. Por isso, se você recebeu de Deus o ministério pastoral, cuide com zelo de suas ovelhas, exerça seu ministério com dedicação, pois em breve Jesus voltará e lhe dará os lauréis pelo seu trabalho.

2. Crentes darão conta de seus talentos. Todo crente recebeu algum tipo de talento (habilidades, dons) do Senhor. Uns recebem mais e outros menos, pois estes são distribuídos de acordo com a capacidade de cada um, mas todos recebem (Mt 5.14-30). O Senhor espera que venhamos desenvolver nossos talentos com dedicação e zelo, utilizando-os para a glória do Pai. Você é responsável, perante o Senhor, por usar bem aquilo que Ele lhe concedeu. Jesus está voltando, por isso, é tão urgente que venhamos empregar nosso tempo e nossos talentos diligentemente em sua obra. Não aja jamais como o servo negligente, que com medo do seu senhor, enterrou seu talento. Utilize suas habilidades em favor do Reino de Deus, pois o Pai vai lhe recompensar por isso.

 

 

SÍNTESE DO TÓPICO (III)

 

Os crentes prestarão contas de suas ações e se suas obras passarem pelo crivo do Senhor receberão galardões.

 

 

SUBSÍDIO BIBLIOLÓGICO

 

“A distribuição de recompensas será feita no julgamento. Tais recompensas nunca serão concedidas para satisfazer o ego do crente, mas trazer louvor e glórias a Cristo, aquEle que capacita o fiel a servir (Fp 1.11). Aos que servem com fidelidade são prometidas as recompensas. As boas obras, os frutos de justiça, glorificam aquEle que graciosamente imputou sua justiça aos crentes (Jo 3.21)” (LAHAYE, Tim. Enciclopédia Popular de Profecia Bíblica. 1ª Edição. RJ: CPAD, 2008, pp.463,64).

 

 

CONCLUSÃO

 

No Tribunal de Cristo, os crentes fiéis verão que valeu a pena suportar as aflições do tempo presente: “Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada” (Rm 8.18). Eles receberão seus galardões. Jesus é que fará a criteriosa avaliação das obras dos salvos para dar a cada um conforme o seu trabalho (Ap 22.12).

 

PARA REFLETIR

 

A respeito da Escatologia Bíblica, responda:

 

Todo o crente vai comparecer ante o tribunal de Cristo?

Todos os crentes terão que comparecer a este tribunal, porém não se trata do Juízo final, que será instaurado para o julgamento dos ímpios (Ap 20.11-15), mas será um tribunal para julgar as obras e os atos dos crentes, recompensando-os, ou não, pelo que fizeram em sua vida.

 

Qual a condição para ter sido salvo e permanecer salvo?

Estar “em Cristo Jesus” é a condição indispensável para ter sido salvo e permanecer salvo.

 

Quando se dará o Tribunal de Cristo?

Segundo Eurico Bergstén, acontecerá no dia em que Jesus voltar.

 

Como as intenções do coração serão provadas?

A Palavra de Deus diz que todas as obras serão provadas pelo fogo. O fogo divino vai purificar e revelar qual a verdadeira intenção do coração.

 

Segundo a lição, que tipos de obra perecerão?

Madeira, feno e palha.

 

SUBSÍDIOS ENSINADOR CRISTÃO

 

O Tribunal de Cristo e os galardões

 

“Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão” (1Co 3.14). A doutrina do Tribunal de Cristo visa ensinar sobre como a Igreja prestará contas de tudo o quanto fez enquanto esteve presente no mundo. Ali, todas as obras se revelarão, desde as mais complexas às consideradas mais simples. Será um momento de julgamento divino acerca das ações e atitudes dos salvos em Cristo. Entretanto, é importante não confundir o Tribunal de Cristo com o Trono Branco. Este será destinado aos ímpios que serão julgados no final do Milênio, e aquele se destina aos crentes vivos e mortos, que foram ressuscitados pelo Senhor no advento do Arrebatamento da Igreja, a fim de serem julgados e receberem cada um, conforme a verdade de suas ações, o seu galardão.

O julgamento do Tribunal de Cristo se mostra tão sério que o texto base da lição da semana usa a imagem do “fogo” como elemento probatório à “verdade” e “valor” da obra julgada — é importante ressaltar que no Tribunal de Cristo serão julgadas as obras dos crentes. Conquanto a salvação de Cristo é pela graça mediante a fé, o galardão entregue a cada crente será distribuído mediante as obras. Neste aspecto, as obras do crente são essenciais para justificá-los diante do Tribunal de Cristo.

O texto de 1 Coríntios 3 mostra que acerca dos líderes, mas que pode ser aplicado a toda comunidade de crentes, a maneira pela qual eles continuarão a edificar a Igreja de Cristo será julgada neste Tribunal. Aqui, se verificará que tipos de obras tais líderes fizeram: se edificaram o edifício de ouro, se de prata, se de pedras preciosas, se de madeira, feno ou palha. Então, o detalhe de cada obra será manifesto naquela oportunidade. Então, o “fogo” provará a essencialidade de cada obra. Se após a provação do “fogo”, a obra permanecer, o crente receberá o seu galardão; senão, não o receberá. O texto diz que a obra padecerá sofrimento, mas isso não interferirá na salvação do crente. Este será salvo como pelo fogo, ou em linguagem mais contemporânea, “como por um triz” ou “por um fio” (1Co 3.14).

Professor, estimule aos alunos a viverem o mandamento de Jesus: “Ame os outros como você ama a você mesmo” (Mc 12.31). Explique-os que toda a boa obra na vida do crente deve se fundamentar no princípio mandatório de nosso Senhor: o amor.